Adolescente armado ataca escola alemã e mata 15 pessoas

Por Hendrik Sackmann WINNENDEN, Alemanha (Reuters) - Um jovem de 17 anos lançou um ataque armado contra seu antigo colégio no sudoeste da Alemanha na quarta-feira, matando até 15 pessoas antes de morrer num tiroteio com a polícia, informaram autoridades.

Reuters |

Vestindo uniforme preto de combate, o ex-aluno entrou no colégio em Winnenden, cidade de 27 mil habitantes nas proximidades de Stuttgart, por volta das 9h30 (5h30 no horário brasileiro) e começou a disparar.

Ele matou nove alunos e três professores no colégio, além de uma pessoa numa clínica vizinha, antes de fugir num carro com um refém. Foi morto num tiroteio com a polícia.

Dois transeuntes foram mortos e dois policiais ficaram gravemente feridos no tiroteio, elevando o total de mortos para 16, incluindo o próprio agressor.

Não ficou claro se ele foi morto por tiros disparados pela polícia ou se ele se matou, disse Rainer Koeller, porta-voz da polícia na vizinha Waiblingen.

"Sou diretor de polícia em Baden-Wuerttemberg há 19 anos e não me recordo de nenhum ato tão terrível quanto este", disse Erwin Hetger, chefe de polícia do Estado do sudoeste da Alemanha.

Um porta-voz do governo alemão em Berlim se disse "profundamente chocado" com o incidente e informou que a chanceler Angela Merkel fará um pronunciamento às 16h00 (meio-dia no Brasil).

A polícia disse que o agressor entrou em duas salas de aula no colégio Albertville-Realschule, em Winnenden, e provavelmente abriu fogo sobre os alunos de maneira indiscriminada.

O colégio é para alunos de 10 a 16 anos de idade.

O incidente é o mais recente tiroteio a chocar a Alemanha nos últimos anos. Em 2006 um homem mascarado, armado com rifles e explosivos, atacou uma escola na cidade de Emsdetten, no oeste do país, ferindo pelo menos 11 pessoas antes de cometer suicídio.

Em abril de 2002 ocorreu o pior caso de disparos numa escola na Alemanha, quando um homem armado matou 16 pessoas antes de se matar num colégio na cidade de Erfurt, no leste do país.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG