Adolescente americano escapa de sequestradores nas Filipinas

Após andar descalço na selva por dois dias, menino foge de suposto grupo terrorista ligado à Al-Qaeda

EFE |

Kevin Lunsmann, um americano de 14 anos, conseguiu escapar após passar quase cinco meses sequestrado por supostos terroristas relacionados com a Al-Qaeda em uma remota região ao sul das Filipinas, informaram neste domingo fontes policiais.

Leia também: 54% dos americanos acreditam que Obama não merece reeleição

Reprodução/Facebook
Kevin à esquerda, de moleton, com os amigos, em foto publicada no Facebook
Kevin conseguiu ligar no sábado à tarde para as autoridades em uma aldeia da ilha de Basilan após andar descalço pela selva durante dois dias, disse o prefeito da localidade de Lamitan, Roderick Furigay. "Demos comida para ele porque estava faminto e disse que estava bem, embora cansado", afirmou Furigay à imprensa local.

O adolescente, com cortes e arranhões, disse a seus sequestradores que queria tomar um banho no rio, momento que aproveitou para fugir, e seguiu um rio até que se encontrou com laguns aldeães. Kevin foi sequestrado junto com sua mãe e um parente filipino no dia 12 de julho enquanto passavam férias na ilha de Tigtabon, na região de Mindanao.

A mãe, Gerfa Yeatts, foi liberada no dia 2 de outubro, enquanto o parente, Romnick Jakaria, também escapou duas semanas mais tarde. As autoridades culpam a Abu Sayyaf pelo sequestro, um grupo terrorista fundado em 1991 por um grupo de ex-combatentes da guerra do Afeganistão contra a União Soviética e relacionado com a Al-Qaeda.

A este grupo foram atribuídos vários dos ataques mais sangrentos dos últimos 15 anos no arquipélago e um alto número de sequestros de locais e estrangeiros no convulso sul do país.

Leia mais: Ladrões roubam 50 toneladas de milho de trem em movimento

    Leia tudo sobre: FilipinasterrorismoKevin LunsmannEstados UnidosAl-Qaeda

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG