última opção , diz Unicef - Mundo - iG" /

Adoção de crianças haitianas deve ser última opção , diz Unicef

Genebra, 19 jan (EFE).- O Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) afirmou hoje que a adoção internacional de crianças haitianas que ficaram órfãs após o devastador terremoto é considerada a última opção.

EFE |

"Nossa política é tentar a todo custo encontrar parentes da criança, e conseguir a reunificação familiar. A adoção é vista como a última opção, quando todas as outras tiverem fracassado", disse a porta-voz do Unicef, Veronique Taveau.

Em entrevista coletiva, Taveau insistiu em que a agência da ONU está trabalhando para encontrar e identificar as crianças que ficaram sozinhas após o tremor de terra no Haiti.

"Encontramo-nas, identificamos e registramos, e depois privilegiamos a reunificação com a família, e, quando dizemos família, nos referimos à família ampla, ou seja, tios, primos, avôs ou outros parentes", ressaltou.

Taveau reagia assim às informações sobre que, em alguns casos, estão sendo acelerados os trâmites para adoções internacionais após a tragédia do Haiti.

A metade da população do país caribenho - que já antes do terremoto era o mais pobre do continente americano - é de menores de 18 anos.

Taveau disse não poder dar uma estimativa de quantas crianças ficaram órfãos ou foram atingidas no terremoto, mas disse que, "se as estimativas dizem que cerca de 2 milhões de pessoas foram afetadas, e as crianças são a metade da população, é fácil calcular".

O terremoto de 7 graus na escala Richter aconteceu às 19h53 (Brasília) da terça-feira passada e teve epicentro a 15 quilômetros da capital haitiana, Porto Príncipe. Segundo declarações à Agência Efe, o primeiro-ministro do Haiti, Jean Max Bellerive, acredita que o número de mortos superará 100 mil.

O Exército brasileiro informou que pelo menos 17 militares do país que participavam da Missão de Estabilização das Nações Unidas no Haiti (Minustah) morreram em consequência do terremoto.

A médica Zilda Arns, fundadora e coordenadora da Pastoral da Criança, e Luiz Carlos da Costa, o segundo civil mais importante na hierarquia da ONU no Haiti, também morreram no tremor. EFE vh/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG