Administrador do Pnud deixa cargo por motivos pessoais

Nações Unidas, 8 jan (EFE).- O administrador do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud), Kemal Dervis, comunicou ao secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, sua intenção de deixar o cargo no dia 1º de março por motivos pessoais, anunciou hoje o organismo.

EFE |

"O secretário-geral aceitou com pesar a decisão de Dervis, e iniciará o processo de seleção para encontrar um substituto adequado", disse a porta-voz das Nações Unidas, Michèle Montas.

Assegurou que Ban está "profundamente agradecido" a Dervis pelo trabalho que realizou à frente do Pnud e por dirigir este organismo em uma "conjuntura crítica".

Montas disse que o ex-ministro da Economia turco ampliou "consideravelmente" os programas das Nações Unidas nos países em desenvolvimento, e alcançou um "progresso firme" na implementação da iniciativa "Uma só ONU", que trata de coordenar em cada país os trabalhos de desenvolvimento das diferentes agências do organismo.

O economista de 59 anos, que trabalhou anteriormente no Banco Mundial (BM), assumiu em agosto de 2005 a direção da maior agência da ONU.

Dervis foi a primeira pessoa de um país receptor de ajuda a ocupar este alto cargo da ONU, que até então sempre tinha sido exercido por pessoas de países doadores.

Seu nome apareceu entre os candidatos a suceder Kofi Annan quando, em 2007, ele deixou o cargo de secretário-geral, que no final ficou com o sul-coreano Ban.

Em seus mais de três anos no Pnud, teve de enfrentar várias crises, entre elas o desvio de fundos da ONU por parte do Governo da Coréia do Norte.

Uma auditoria assegurou que os responsáveis do Pnud "não tinham como saber" que o Governo norte-coreano desviaria US$ 2,72 milhões da ONU para um banco fora do país. EFE jju/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG