Acusados de terrorismo pedem indulto real no Marrocos

Rabat, 8 out (EFE).- Um total de 67 presos fundamentalistas acusados de terrorismo enviaram pedidos de perdão ao Conselho Consultivo dos Direitos Humanos (CCDH) do Marrocos, informou hoje à Agência Efe o advogado Khalid Al Idrisi.

EFE |

"Este conjunto de cartas foi apresentado ao CCDH e há outro novo, de outros presos, que também vamos transmitir para um indulto real" disse.

Entre os acusados, há condenados por terrorismo desde 2003, que estão atualmente em várias prisões marroquinas, segundo o advogado.

Idrisi, que entregou as primeiras cartas ao presidente do CCDH, Ahmed Herzeni, revelou que para conseguir o indulto real os presos devem expressar "sua lealdade à coroa, seu compromisso contra o uso da violência como método para defender suas opiniões e sua compreensão consideração da sociedade marroquina como uma entidade muçulmana".

"Estas são as três condições que o presidente do CCDH impôs para iniciar um diálogo com os presos fundamentalistas", destacou.

Idrisi lembrou que os presos fundamentalistas podem ser incluídos nas listas de indulto real publicadas pelo Ministério da Justiça por ocasião das festas nacionais e religiosas. EFE hm/rb/plc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG