Acusados de matar jornalista russa vão a julgamento

Moscou, 2 out (EFE).- A Procuradoria Geral da Rússia enviou hoje a julgamento o caso do assassinato em outubro de 2006 da jornalista russa Anna Politkovskaya, uma das mais críticas à política do Kremlin no Cáucaso.

EFE |

Fontes judiciais informaram à agência "Interfax" que a Promotoria confirmou todas as acusações contra os três acusados do crime, que no próximo dia 7 completará dois anos.

Os três acusados de matar a jornalista, que trabalhava na publicação "Novaya Gazeta", são Sergei Khadzhikurbanov e os irmãos Dzhabraíl e Ibragim Majmudov.

Um quarto acusado é o ex-coronel do Serviço Federal de Segurança (FSB), Pavel Riaguzov, que supostamente deu aos assassinos o endereço de Politkovskaya.

Outro irmão Majmudov, Rustam, considerado o autor do assassinato, está sendo procurado internacionalmente.

Nos últimos meses, a Justiça russa libertou vários suspeitos e cúmplices do crime, entre eles Shamil Burayev, empresário do setor de construção e ex-chefe da administração do distrito de Achjoi-Martan, no sudeste da Chechênia.

Organizações como a Anistia Internacional criticaram a "pouca vontade política" das autoridades russas para levar aos tribunais as pessoas que ordenaram o assassinato da jornalista, realizado quando ela preparava um artigo sobre as torturas sistemáticas na Chechênia, que foi publicado por seus colegas cinco dias após sua morte.

Politkovskaya, que nasceu em Nova York em 1958 e tinha dupla cidadania, era considerada a jornalista mais crítica à política de Putin.

Ela confessou diversas vezes ter recebido ameaças de morte dos serviços secretos russos, do Exército e de outras agências de segurança do Estado criticadas duramente pela jornalista. EFE io/rb/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG