Acusado de tentar vender vaga de Obama no Senado é sentenciado a 14 anos

Ex-governador de Illinois Rod Blagojevich pediu desculpas por ter cometido 'erros terríveis' e por ter infringido a lei

iG São Paulo |

Rod Blagojevich, o ex-governador de Illinois cuja batalha judicial contra acusações criminosas já duram três anos, foi sentenciado a 14 anos de prisão nesta quarta-feira. Ele foi condenado por tentar vender a cadeira no Senado de Barack Obama que ficou vaga quando ele foi eleito presidente.

Saiba mais: Acusado de tentar vender vaga de Obama no Senado é considerado culpado

AP
Ex-governador de Illinois Rod Blagojevich sai de sua casa em Chicago em direção ao tribunal
Em junho, Blagojevich foi considerado culpado de 17 das 20 acusações de suborno. O juíz James Zagel deu crédito a Blagojevich por ter, depois de anos se dizendo inocente, tomado para si a responsabilidade por suas ações, mas disse que isso não aliviaria a gravidade de seus crimes.

Zagel também afirmou que Blagojevich fez coisas boas pelo povo enquanto governador, mas estava mais preocupado em usar seu poder para benefício próprio. "Quando é o governador que vai mal, o tecido de Illinois é dilacerado e desfigurado e não é fácil de consertá-lo", afirmou.

Quando o juíz anunciou a sentença, que inclui uma multa de US$ 20 mil, Blagojevich curvou-se para frente e seu rosto dava sinais de choque. Minutos depois, sua mulher, Patti Blagojevich, levantou-se e caiu nos braços do marido. Ele a colocou em pé de novo para enxugar as lágrimas da bochecha dela.

Na sua saída do tribunal, Blagojevich citou o autor Rudyard Kipling e disse que era a hora de ser forte, para lutar contra as adversidades e ser forte por seus filhos. Ele disse que ele e sua mulher estavam indo para a casa para dar a notícia para as filhas e foi embora sem responder nenhuma pergunta.

O democrata duas vezes eleito foi preso em dezembro de 2008, quando ainda estava no cargo. Ele é o segundo ex-governador de Illinois sentenciado à prisão. O seu predescessor republicano, George Ryan, está cumprindo uma sentença de seis anos e meio também por corrupção.

Blgojevich, em seu último apelo por misericórdia, tentou algo que ele nunca tinha feito antes: se desculpar. Depois de anos insistindo em sua inocência, ele disse ao juíz que cometeu "erros terríveis" e reconheceu que infringiu a lei. "Eu estou aqui culpado por crimes e eu aceito isso, eu sei disso e, claro, eu inacreditavelmente sinto muito."

Zagel disse a ele que daria crédito por ele ter assumido a responsabilidade, mas que suas desculpas não diminuiriam a gravidade de seus crimes. "Apesar das coisas boas que você fez para o povo como governador, e você fez algumas, eu estou mais preocupado com as ocasiões nas quais você quis usar seus poderes, quando você quis fazer coisas que eram boas somente para você."

Os advogados de Blagojevich disseram que sua sentença, que, pela vontade dos promotores seria entre 15 e 20 anos, era muito dura. A defesa tentou apelar para o emocional, usando a família de Blagojevich, inclusive cartas de Patti e de uma de suas filhas que imploravam por misericórdia.

Mas o juíz deixou claro no início da audiência que ele acreditava que Blagojevich mentiu ao tentar explicar seu esquema para a cadeira do Senado, e não acreditava nas afirmações da defesa, de que o ex-governador teria sido enganado por seus assessores.

Blagojevich, 54 anos, não foi levado sob custódia imediatamente. Nos Estados Unidos, os punidos por crimes de colarinho branco têm, geralmente, algumas semanas para reportar a prisão, enquanto as autoridades federais selecionam para qual prisão serão encaminhados. Blagojevich deve apelar da sua sentença, mas é improvável que essa ação surta algum efeito.

Ele também foi condenado por tentar desviar doações de campanha de empresas e solicitar suborno de funcionários eleitorais. Um dos principais membros de sua equipe de arrecadação de fundos, Antoin Rezko, foi sentenciado no mês passado a dez anos e meio de prisão.

AP
Nessa ilustração, ex-governador de Illinois Rod Blagojevich fala antes do juiz James Zagel anunciar sua sentença
Com AP e BBC

    Leia tudo sobre: illinoiscorrupçãoblagojevichobamaeuachicago

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG