Acusado de planejar atentado contra Correa diz que foi alvo de uma farsa

Bogotá, 15 jun (EFE).- O colombiano Oscar Jiménez Orozco, uma das quatro pessoas detidas na quinta-feira passada em Quito sob acusação de planejar o assassinato do presidente do Equador, Rafael Correa, declarou hoje que a denuncia é uma farsa.

EFE |

Orozco, que está detido no Equador, negou em declarações à rádio "Caracol" pertencer a algum grupo guerrilheiro ou paramilitar e assegurou que outro dos detidos o envolveu no complô para cobrar uma recompensa.

O colombiano disse que outro dos detidos, que aparentemente pertencia ao grupo Águias Negras, "praticamente montou um circo para poder cobrar uma recompensa".

Jiménez Orozco assegurou que não tem antecedentes criminais, que trabalhava como comerciante de peças de carros na Venezuela e que foi convidado a trabalhar no Equador por um dos detidos.

Os demais capturados foram identificados como os colombianos Óscar Julián Peña Hernández, Édgar González Nicolta e o equatoriano Santos Patrício Camacho.

Segundo autoridades colombianas, o complô contra Correa incluía o suposto lançamento de um foguete à sede do Governo.

O presidente equatoriano desprezou a suposta tentativa de atentado e afirmou que pode se tratar de impostores. EFE gta/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG