Acusado de crimes de guerra, Karadzic ficou foragido da Justiça por 12 anos

Belgrado, 22 jul (EFE).- O acusado de crimes de guerra servo-bósnio Radovan Karadzic, foragido desde 1996 e detido na noite da última segunda em Belgrado, vivia com identidade falsa e trabalhava em um consultório de medicina alternativa.

EFE |

Karadzic será julgado pelo Tribunal Penal Internacional para a Antiga Iugoslávia (TPII) por 11 acusações de crimes de guerra e contra a humanidade ocorridos durante a Guerra da Bósnia (1992-1995), entre os quais se destacam o genocídio de Srebrenica e o cerco a Sarajevo.

Nos últimos 12 anos os eventos mais importantes na trajetória de Karadzic são os seguintes: 1996.- Karadzic deixa o cargo de presidente da República Sérvia da Bósnia, a entidade sérvia surgida do Acordo de Dayton.

- Em 11 de julho, o TPII dita uma ordem de busca e captura contra Karadzic e o general Ratko Mladic, que são considerados "foragidos da Justiça internacional".

2000.- As tropas internacionais na Bósnia prendem o ex-presidente do Parlamento servo-bósnio Momcilo Krajisnik. O aliado de Karadzic é extraditado para Haia, onde é sentenciado em 2006.

Janeiro de 2001.- A ex-presidente servo-bósnia Biljana Plavsic se entrega ao TPII. Os serviços secretos suspeitam que Karadzic esteja na região entre o leste da Bósnia e Montenegro, ou até na Rússia.

Julho de 2001.- O ex-presidente sérvio Slobodan Milosevic, deposto em 2000, é extraditado para o TPII.

2004.- Segundo a mulher de Karadzic, Ljiljana, ele está em Belgrado para receber cuidados médicos. Surgem rumores sobre seu paradeiro, possivelmente em mosteiros sérvios ortodoxos em Montenegro. A Igreja rechaça as alegações.

2005.- Dez generais sérvios se rendem voluntariamente e são entregues ao Tribunal de Haia, entre eles alguns cúmplices de Karadzic. A imprensa local informa a respeito de negociações sobre sua mudança voluntária para Haia.

2006.- A promotora-chefe do TPII, Carla Del Ponte, critica duramente a Sérvia por não prender Karadzic e Mladic. A União Européia (UE) suspende suas conversas com a Sérvia sobre um acordo de cooperação. As tropas internacionais na Bósnia iniciam várias operações contra a rede de apoio a Karadzic, com operações de buscas em imóveis.

Abril de 2008.- O ex-líder do Partido Radical Sérvio Vojislav Seselj, detido em Haia, diz conhecer o paradeiro de Karadzic e Mladic.

Julho de 2008.- As forças pró-européias e os socialistas formam um novo Governo na Sérvia com a promessa de melhorar sua cooperação com o TPII. Apenas quatro dias após a substituição do chefe dos serviços secretos do país, Karadzic é detido na noite de 21 de julho perto de Belgrado, onde vivia e trabalhava com identidade falsa. EFE sn/wr/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG