Acusado de corrupção, líder do CNA tenta Presidência sul-africana

Johanesburgo, 9 jan (EFE).- Jacob Zuma, líder do governante Congresso Nacional Africano (CNA), será o candidato de seu partido à Presidência sul-africana nas eleições deste ano, mesmo estando sendo processado por corrupção.

EFE |

A afirmação foi feita pelo atual presidente, Kgalema Motlanthe, em entrevista publicada hoje pela revista sul-africana "Mail & Guardian", por ocasião de seus 100 dias no cargo.

"Inclusive se estiver sendo processado, ele (Zuma) seguirá sendo o candidato do CNA à Presidência do país no pleito deste ano", afirmou.

Em setembro, Motlanthe substituiu Thbo Mbeki, cassado pela direção do próprio CNA.

Na segunda-feira, os tribunais sul-africanos acolheram um pedido da Procuradoria-Geral de processo a Zuma por corrupção, devido a acusações que começaram a ser divulgadas em 2003, quando era vice-presidente do país, com Mbeki no cargo.

Mbeki destituiu Zuma em 2005, depois que oassessor financeiro dele foi condenado a 15 anos de prisão por pedir subornos, supostamente em seu nome, a uma empresa bélica francesa para compra de armas.

Em 2006 e 2007, a Procuradoria apresentou em acusações por corrupção, fraude, lavagem de dinheiro e chantagem contra Zuma, das quais ele se livrou por defeitos nos autos, sem chegar a ser julgado.

As eleições gerais na África do Sul devem acontecer entre março e julho deste ano, segundo o CNA, partido que governa desde o fim do sistema segregacionista do "apartheid" em 1994, quando Nelson Mandela foi eleito o primeiro presidente negro do país. EFE cho/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG