Acusado de assédio sexual, ex-secretário da França é preso provisoriamente

Georges Tron, que renunciou no fim de maio após acusações, deve ser acareado com as três supostas vítimas

iG São Paulo |

O ex-secretário de Estado da Função Pública do governo francês Georges Tron, denunciado por assédio sexual, foi preso provisoriamente nesta segunda-feira e deverá ser acareado com as três supostas vítimas, informou uma fonte ligada à investigação.

Tron, de 53 anos, havia renunciado no fim de maio ao cargo de secretário de Estado da Função Pública, que exercia desde março de 2010, devido à abertura de uma investigação preliminar decorrente de uma denúncia apresentada por duas ex-funcionárias da prefeitura de Draveil, sul de Paris, da qual é prefeito.

Além das duas funcionárias chamadas na imprensa de "Laura" e "Éloise", recentemente uma terceira mulher também fez acusações de assédio contra Tron. Não se sabe, no entanto, se a terceira mulher também foi funcionária pública como as outras.

Carta

Em carta enviada à imprensa e ao presidente da França, Nicolas Sarkozy, Tron se declarou inocente e aproveitou para colocar em xeque a reputação das mulheres que o acusaram. "De minha qualidade de simples cidadão, farei do reconhecimento da minha inocência um assunto pessoal, combatendo as acusações vindicativas de duas antigas colaboradoras, das quais uma foi despedida por ter desviado verbas públicas que lhe tinham sido confiadas e a outra abandonou suas funções por causa de um comportamento indigno", redigiu o secretário.

Na carta, Tron criticou o que chamou de "campanha de imprensa", cuja profunda repercussão midiática, segundo ele, fez com que seus cidadãos o vissem como culpado.

Tron chegou ao poder Executivo em março de 2010, indicado pelo então ministro do Interior, Brice Hortefeux, homem de confiança de Sarkozy.

A defesa de Tron não esconde o reconhecido apreço do político pela reflexologia, uma prática que consiste na massagem de determinados pontos dos pés, mas ressalta que ele não é um "fetichista". Citado pelo Journal du Dumanche, o especialista Jean Streff afirma que o fetichismo dos pés é o "mais conhecido e mais descrito". "Goethe, Dostoievski, Verlaine e Tarantino são célebres fetichistas dos pés", acrescenta.

O escândalo de Tron ocorre após vir à tona o escândalo sexual do também francês Dominique Strauss-Kahn, ex-diretor-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), ser preso em Nova York, acusado de estuprar uma camareira de um luxuoso hotel da cidade.

*Com AFP

    Leia tudo sobre: george tronpolíticafrançaescândalo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG