Qualquer futuro compromisso sobre a redução das emissões de gases que provocam o efeito estufa nos países ricos deve esperar até que os Estados Unidos tenha um novo presidente, no início de 2009, afirmou o principal nome da ONU para a questão climática.

"Há alguns temas que convêm deixar para mais tarde, por exemplo, que tipo de objetivos ou de compromissos os países industrializados aceitarão", disse Yvo de Boer, durante a rodada internacional de negociações que acontece em Bangcoc, com a meta de preparar um novo acordo contra o aquecimento global para o fim de 2009.

"Isto é algo que talvez valha mais a pena abordar, de modo mais razoável, com um novo governo americano", acrescentou de Boer, principal funcionário da ONU sobre a mudança climática.

O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, deixará o poder em janeiro de 2009, depois de passar oito anos na Casa Branca.

Durante sua presidência, os Estados Unidos foram o único grande país desenvolvido do planeta a não ratificar o Protocolo de Kioto, cujas primeiras metas vão expirar em 2012.

De Boer destacou no entanto que os Estados Unidos estão muito comprometidos com o processo em Bangcoc.  "Porém, isto não quer dizer que vamos alcançar um consenso imediatamente", alertou.

A reunião na capital tailandesa, com representantes de 164 países, é o primeiro grande encontro desde a conferência de Bali em dezembro, que terminou com um pedido de aprovação de um novo acordo contra o aquecimento global até o fim de 2009.

Leia mais sobre: aquecimento global

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.