Ações têm alta nos EUA com esperança sobre plano de Obama

Por Chuck Mikolajczak NOVA YORK (Reuters) - As bolsas dos Estados Unidos fecharam em alta nesta terça-feira com a grande possibilidade de aprovação de um pacote de estímulo econômico do governo, depois que a divulgação de atas da reunião do Federal Reserve mostrou um quadro sombrio da economia norte-americana.

Reuters |

O índice Dow Jones subiu 0,69 por cento, para 9.015 pontos. O Standard & Poor's 500 cresceu 0,78 por cento, para 934 pontos. O Nasdaq teve alta de 1,50 por cento, para 1.652 pontos.

Investidores apostaram que as ações de tecnologia se beneficiariam da proposta de plano econômico do presidente eleito Barack Obama, que inclui o maior investimento em infra-estrutura dos Estados Unidos desde a década de 1950.

Ações da Microsoft subiram 1,2 por cento para 20,76 dólares depois que a fabricante de softwares disse ter vendido 28 milhões de unidades de seu videogame Xbox 360 no final de 2008, aumentando a liderança do Xbox sobre o rival Playstation 3, da Sony Corp.

O Federal Reserve, em atas de sua reunião entre 15 e 16 de dezembro, alertou sobre desconfortáveis baixos níveis de inflação e disse que a perspectiva econômica será fraca por algum tempo.

"Há um pequeno período de lua-de-mel com o início do novo calendário. As pessoas estão antecipando iniciativas corajosas no pacote econômico", disse Todd Clark, diretor administrativo para o mercado de ações da Nollenberger Capital Partners em San Francisco.

"Parece que há uma certa disposição para correr riscos novamente".

As ações de varejistas subiram com dados de lojas -- um indicador industrial -- na semana depois que o último relatório sobre as redes de lojas norte-americanas mostraram um sinal de alívio. Depois de uma temporada de compras de final de ano sombria, os dados mostraram que as vendas cresceram 1,4 por cento na semana passada sobre o período anterior e caíram menos que a semana anterior há um ano atrás. O índice de varejo da S&P cresceu 2,3 por cento.

(Reportagem adicional de Deepa Seetharaman)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG