Ações de firmas de hipoteca caem quase 50% nos EUA

As cotações das ações de duas das maiores empresas de hipotecas dos Estados Unidos, Freddie Mac e Fannie Mae, caíram quase 50% na abertura do pregão em Nova York nesta sexta-feira devido a temores com o futuro das firmas. As ações da Freddie Mac caíram 50%, atingindo US$ 3,97, enquanto as da Fannie Mae tiveram queda de 46%.

BBC Brasil |

Investidores estariam preocupados com a possibilidade de o governo americano fazer algum tipo de intervenção das empresas, o que derrubaria ainda mais o preço das ações.

A desvalorização antecedeu uma declaração do secretário do Tesouro americano, Henry Paulson, que deu a entender que o governo não vai intervir.

"Hoje nosso foco principal está em apoiar a Fannie Mae e o Freddie Mac em sua forma atual, enquanto as duas empresas desempenham sua importante missão", disse o secretário na mensagem divulgado no site do Departamento do Tesouro.

Segundo ele, o governo está "mantendo diálogo com os reguladores e com as companhias".

Empresas cruciais
A Freddie Mac e a Fannie Mae estão por trás de metade das hipotecas dos Estados Unidos e foram fortemente atingidas pelo desaquecimento do mercado imobiliário americano.

Elas são cruciais no mercado financeiro, pois fornecem fundos para empréstimos para aquisição de imóveis, ao comprarem hipotecas e as transformarem em investimentos.

Como avalistas de hipotecas, as duas empresas estão tendo que bancar o prejuízo provocado por vários compradores de casas que não honraram suas dívidas.

O correspondente da BBC em Nova York Greg Wood diz que há uma sensação de crise no mercado em função da situação das duas empresas.

Ele disse que uma quebra das duas empresas seria "impensável".

Apesar de não serem mais controladas pelo governo, a Fannie Mae e a Freddie Mac são patrocinadas pelo governo, o que levou à expectativa de que o governo americano realize algum tipo de intervenção.

"Eu acho que todo mundo está prendendo a respiração enquanto espera que algo concreto do governo aconteça hoje ou no final de semana", disse a analista Karen Shaw Petrou.

Na quinta-feira, Paulson e o diretor do Federal Reserve, Ben Bernanke, disseram que as duas empresas estão "devidamente capitalizadas".

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG