Ações de caridade marcam as festas do dia de Martin Luther King e posse de Obama

As festividades organizadas para marcar a posse de Barack Obama ganharam um tomm mais solene nesta segunda-feira, dia de feriado anual colocado sob o signo do voluntariado nas associações de caridade em homenagem ao líder negro Martin Luther King.

Redação com agências internacionais |

Na véspera de se tornar o primeiro presidente negro da história dos Estados Unidos, Barack Obama começou, entre outras atividades, visitando soldados feridos no hospital militar Walter Reed , na periferia de Washington, um estabelecimento criticado pelas condições lamentáveis de alojamento dos pacientes.

Obama também pintou as paredes da Sasha Bruce House, um abrigo para jovens carentes de Washington. Em Chicago, cidade onde cresceu politicamente, Obama sempre dedicou parte de seu tempo às atividades sociais nos bairros mais pobres. Ele conclamou seus concidadãos a "renovar a América juntos", num contexto de grave crise econômica.


Obama pinta parede de abrigo nesta segunda-feira / AP

Dia de Martin Luther King

Obama elogiou a dedicação de Martin Luther King à luta pela integração racial e disse que ela é um exemplo para que os americanos se envolvam com suas comunidades.

''Ao honrarmos esse legado, não tiramos apenas um dia para a pausa e para a reflexão, mas sim um dia para agir'', afirmou.

Em 1963, cinco anos antes de ser assassinado, Martin Luther King reuniu 250 mil pessoas em Washington, onde fez um famoso discurso anti-racista conhecido como " Eu Tenho um Sonho ".

No discurso, ele afirmou ter um sonho de que seus filhos iriam ''um dia viver em um país em que eles serão julgados não pela cor de sua pele, mas pelo conteúdo de seu caráter''.

Para muitos nos Estados Unidos, a posse do primeiro presidente negro em toda a história americana representa a realização do sonho de King.

Festa da posse

As festividades recomeçarão no início da noite, com um baile especial para as crianças que contará com a participação de Michelle Obama e Jill Biden, a esposa do vice-presidente eleito.

Barack Obama, que transformou a cooperação com a oposição republicana em uma de suas prioridades, comparecerá na noite desta segunda-feira a três jantares consecutivos: um em homenagem a Colin Powell, que se tornou durante o primeiro mandato de George W. Bush o primeiro secretário de Estado negro, outro em homenagem a John McCain, adversário de Obama nas eleições presidencial, e o terceiro em homenagem ao vice-presidente eleito Joseph Biden.

Posse na terça-feira

A terça-feira promete engarrafamentos ainda piores que os de ontem à noite, provocados por um show gratuito no Mall, o imenso parque do centro de Washington. As centenas de milhares de americanos procedentes dos quatro cantos do país aproveitaram o dia para visitar os museus e os shoppings da capital.

Torrey Pocock, 38 anos, veio de Los Angeles para comemorar a vitória sobre o racismo que representa a eleição de Obama, apesar de sempre ter votado nos republicanos.

"Que este país, com sua história, tenha depositado sua confiança num presidente negro é algo incrível", vibrou.

Entre os convidados de última hora, estão os tripulantes do voo 1549 da US Airways, que caiu quinta-feira no rio Hudson com 155 passageiros a bordo sem deixar vítimas.

Por sua vez, o presidente George W. Bush continuou preparando sua saída. Ele ligou nesta segunda-feira para os dirigentes de países aliados, amigos e até rivais dos Estados Unidos para se despedir.

Além disso, a Casa Branca advertiu nesta segunda-feira a Coreia do Norte que o próximo presidente manterá a firme política americana de oposição a seu programa nuclear, e qualificou de pueril a atitude de desafio de Pyongyang.

Leia mais sobre Barack Obama

    Leia tudo sobre: obama

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG