Vazamento de óleo é consequência do incêndio que atingiu dois oleodutos, de propriedade da gigante estatal China National Petroleum Corp

As autoridades chinesas lutam há dois dias para controlar um vazamento de 1,5 mil toneladas de petróleo no mar, causado por um incêndio e um escapamento em dois oleodutos, próximo ao litoral de Dalian, no noroeste da China.

A mancha de óleo abrange entre 50 e 100 quilômetros quadrados de petróleo na superfície da área onde se encontram os mares de Bohai e Amarelo, que separam a China da península da Coreia, informa nesta segunda-feira a imprensa oficial.

Mais de 20 navios que trabalham na extração do petróleo puderam retirar, até o momento, cerca de 50 toneladas do minério do mar. Foram instalados sete quilômetros de redes como obstáculos flutuantes para impedir a propagação da mancha, mas os especialistas temem que ela se estenda.

O departamento de Proteção Ambiental de Dalian mobilizou cerca de 30 coletores de mostras da água do mar para verificar se a mancha de petróleo se expande em direção às zonas turísticas.

O vazamento de óleo é consequência do incêndio que atingiu dois oleodutos, de propriedade da gigante estatal China National Petroleum Corp. (CNPC), além de afetar o porto de mercadorias Xingang em Dalian, mas sem deixar vítimas.

Segundo as primeiras investigações, na sexta-feira passada se registrou uma explosão em um oleoduto próximo ao porto, cujas chamas se propagaram a outro encanamento paralelo e causaram pelo menos outras cinco pequenas detonações.

O acidente ocorreu logo após a saída de um navio petroleiro liberiano que descarregou 300 mil toneladas de petróleo através dos dutos. As autoridades chinesas mantêm bloqueado o navio para investigá-lo, mas descartam que ele seja a causa direta do vazamento.

Por outro lado, alguns meios de comunicação chineses indicam que uma operação "inadequada" de transposição do petróleo do navio à terra poderia ser a razão mais provável do desastre. Por sua vez, a companhia petrolífera CNPC prometeu "fazer todo o possível" para reduzir o impacto da tragédia.

Ela assegurou que as válvulas dos oleodutos foram fechadas e que já não há mais vazamento. Dalian é uma importante cidade litorânea do nordeste da China, com mais de 6 milhões de habitantes, e conta com o segundo maior porto do país.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.