Acidente em hidrelétrica da Rússia deixa oito mortos

Oito pessoas morreram e 68 estão desaparecidas após um acidente, nesta segunda-feira, na maior central hidrelétrica da Rússia.

Redação com agências internacionais |

Funcionários do governo afirmam que oito trabalhadores morreram e 14 ficaram feridas quando uma mudança súbita na pressão da água causou a ruptura de tubos que inundaram algumas partes da central de Sayano-Shushenskaya, na região da Khakasia, perto da fronteira com a Mongólia (cerca de 4.300 km a leste de Moscou).

"Não sabemos nada sobre as 68 pessoas desaparecidas, declarou Andrei Klyuvev, representante do Ministério russo das Situações de Emergência na Sibéria, segundo a emissora Eco, de Moscou.

"Podem existir pessoas nas galerias inundadas", acrescentou Klyuvev, assinalando que muitas outras pessoas também podem estar na situação, que ocorreu às 09h42 de Brasília do domingo.

O Kremlin afirmou, em uma declaração, de que o acidente foi provocado por um "impacto hidráulico" não registrado, que atingiu três unidades da fábrica, paralisando toda a instalação.

O presidente russo, Dmitri Medvedev, ordenou ao ministro das Situações de Emergência e ao de Energia, Sergei Shoigu e Sergei Shmatko, respectivamente, que se dirijam pessoalmente para a fábrica, informou o Kremlin.

O acidente na fábrica afetou a produção de inúmeras empresas, que foram deixadas sem energia, tais como a UC Rusal, do bilionário Oleg Deripaska, maior produtor de alumínio da Rússia.

A reconstrução total da central "pode levar anos", disse por sua vez, o ministro russo de Situações de Emergência, citado pela agência Interfax. O Ministério dos Recursos Naturais afirmou ainda que está analisando o impacto ambiental do acidente na fábrica, pois uma mancha negra teria atingido cerca de cinco quilômetros ao longo do rio Yenisei, que fica nas proximidades.

Leia mais sobre Rússia

    Leia tudo sobre: rússia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG