Acidente da Spanair pode ter sido causado por um conjunto de falhas

Madri, 16 set (EFE).- Um problema no avião, uma falha na manutenção da aeronave e um erro humano podem ser o conjunto de causas que provocaram o acidente do aparelho da Spanair que explodiu no Aeroporto de Barajas, em Madri, diz um relatório preliminar.

EFE |

A Comissão de Investigação de Acidentes e Incidentes de Aviação Civil (CIAIAC), do Ministério do Desenvolvimento espanhol, deve concluir entre sexta e segunda o relatório preliminar sobre a catástrofe.

Um avião MD-82 da Spanair explodiu no Aeroporto de Barajas segundos após decolar, matando 154 pessoas.

Fontes próximas à investigação afirmaram hoje à Agência Efe que o relatório aponta para uma série de falhas que foram se somando, desde um problema no avião, uma falha na manutenção e um eventual erro humano.

Citando o relatório preliminar da comissão, o jornal espanhol "El País" publica hoje que o sistema de segurança para a decolagem do avião falhou.

O jornal acrescenta que o sistema de segurança não avisou ao piloto que os flaps não estavam estendidos, o que provocou o acidente.

Os flaps são mecanismos que ficam na parte posterior das asas e que são estendidos para a decolagem e a aterrissagem dos aviões.

Técnicos de manutenção de aviação disseram à Efe que a tripulação tinha como saber se os flaps estavam ativados, mas não é uma comprovação obrigatória, já que um alarme dispara se a configuração de decolagem estiver inadequada e, neste caso, o aviso parece não ter tocado.

Por isto e segundo estes especialistas, poderia haver "um trabalho não acabado" do pessoal da manutenção da aeronave, mas afirmaram que, como qualquer máquina e apesar de um avião ser bastante confiável, pode falhar.

A CIAIAC anunciou no dia 26 de agosto que daria um mês para a apresentação do relatório preliminar sobre o acidente do avião da Spanair, prazo que será antecipado em vários dias. EFE jf/wr/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG