Ação do Governo contra gripe é aprovada por 60% dos mexicanos

México, 25 mai (EFE).- Uma pesquisa divulgada hoje mostra que 60% dos mexicanos consideram que as medidas preventivas tomadas pelo Governo para controlar a epidemia da gripe suína foram necessárias e corretas.

EFE |

A enquete realizada pela empresa de pesquisas María de las Heras e publicada no diário "Milenio" mostra que 32% dos consultados consideraram as medidas "muito exageradas", 6% acreditam que "foram tomadas de forma superficial" e os 2% restantes não souberam responder.

Após a declaração do alerta de saúde no México foram fechadas escolas de todo o país durante duas semanas e em alguns estados, restaurantes e várias empresas tiveram atividades interrompidas por alguns dias.

O Governo da capital do país decidiu eliminar o alerta em 21 de maio passado e retornar à normalidade, embora setores como o turismo ainda não tenham se recuperado.

Com o ritmo de propagação da doença em baixa, 44% dos mexicanos estão "totalmente seguros" de que não ser)ao infectados pelo vírus AH1N1, 36% têm certeza "mas com algumas reservas" e 17% temem ficar doentes.

Sobre os cancelamentos de voos entre México e alguns países como China, Cuba e Argentina, assim como a respeito das medidas de isolamento forçosas impostas em várias nações no exterior, 58% consideraram "reações discriminatórias" contra os mexicanos.

Dos cidadãos, 16% consideraram "reações normais" para preservar a saúde do povo, enquanto 24% estimaram que eram ao mesmo tempo compreensíveis e discriminatórias.

Até o momento morreram no México 80 pessoas e 4.094 mais foram infectadas pelo vírus AH1N1.

O vírus já está em 43 países, deixou 86 mortos (apenas seis fora do México) e 12.022 infectados, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS).

Apesar do nome, a gripe suína não apresenta risco de infecção por ingestão de carne de porco e derivados. EFE act/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG