Abuso do consumo de Viagra pode marcar os Jogos de Pequim

Os Jogos Olímpicos de Pequim podem ser recordados mais pelo abuso de Viagra e outras drogas do que pelo desempenho dos atletas participantes, alertou nesta sexta-feira o australiano Robin Parisotto, principal cientista encarregado de desenvolver o teste para detectar a eritropojetina (EPO), explicando que certas drogas legais, como o Viagra e medicamentos psicótropicos, aumentan o rendimento esportivo.

AFP |

A Agência Mundial Antidoping (AMA) está considerando incluir o Viagra em sua lista de substâncias proibidas, mas só tomará uma decisão depois dos Jogos deste ano.

"Pequim provavelmente será recordado pelo abuso de drogas legais como o Viagra, pois ele ou qualquer substância dopante que dilate as veias e as artéris beneficia a atividade física que se prolonga durante mais de dois minutos", explicou Parisotto ao canal ABC.

Mas o Viagra, medicamento contra disfunções eréteis aprovado nos Estados Unidos em 1998 e que é usado por cerca de 35 milhões de homens em todo o planeta, não é o único medicamento que pode melhorar o rendimento de um atleta.

As drogas psicotrópicas podem ajudar os participantes a aumentar sua confiança. "Praticar um esporte com regularidade é uma batalha e, quando se está cansado, a pessoa fica confusa e não tem toda sua capacidade de raciocínio. Dessa forma, tomar uma droga que esclareça sua mente e o ajude a se concentrar é, sem dúvida, outra forma de doping, que pode beneficiar os atletas", concluiu.

rsm/mc/cn

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG