Abu Sayyaf liberta funcionária da Cruz Vermelha sequestrada nas Filipinas

Zamboanga (Filipinas), 2 mar (EFE).- O grupo terrorista Abu Sayyaf libertou hoje uma mulher filipina sequestrada junto com outros dois empregados do Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV), um suíço e um alemão, no sul das Filipinas em meados de janeiro, disseram hoje fontes do Governo filipino.

EFE |

O ministro da Defesa das Filipinas, Gilberto Teodoro, disse à televisão que a empregada filipina do comitê, Mary Jean Lacaba, foi entregue às autoridades civis e militares da ilha de Jolo, no sul do arquipélago.

O presidente da Cruz Vermelha filipina, Richard Gordon, disse que tinha recebido informação de que os outros dois reféns estavam vivos, mas um deles tinha algum tipo de doença que o impedia de caminhar.

A libertação de Lacaba, de 37 anos, aconteceu depois que, no início desta semana, os sequestradores ameaçam decapitar um dos três sequestrados, em resposta às ações dos soldados para se aproximar do esconderijo do Abu Sayyaf.

A organização extremista, que decapitou no passado vários de seus reféns, não exigiu até agora o pagamento de um resgate.

O suíço Andreas Notter, de 39 anos, o italiano Eugenio Vagni, de 62 anos, e a filipina Jean Lacaba foram sequestrados em 15 de janeiro, quando realizavam uma inspeção rotineira de uma prisão em Jolo. EFE rp/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG