Zamboanga (Filipinas) - O grupo radical islâmico Abu Sayyaf libertou sete operários seqüestrados há uma semana no sul das Filipinas, depois de o Exército tomar um de seus campos na ilha de Basilan, informaram hoje fontes militares.

Os reféns, que não estavam feridos, foram libertados ao amanhecer (local), após negociações mediadas pelo prefeito da cidade de Limatan, Roderick Furigay, informou a tenente Stéphanie Cacho, porta-voz do Comando de Mindanao Ocidental do Exército filipino.

Cacho disse que a libertação aconteceu sem o pagamento de resgate, como é normal nestes casos.

Fundado em 1991 por ex-combatentes da guerra do Afeganistão contra a União Soviética, o Abu Sayyaf está vinculado à Jemaah Islâmica, o braço da Al Qaeda no Sudeste Asiático.

Considerado um grupo terrorista pelos Governos das Filipinas e dos Estados Unidos, o grupo é acusado de ser responsável por alguns dos ataques mais sangrentos dos últimos anos no país. EFE rp/mh

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.