Abu Qatada quer proibir publicação de fotos dele em liberdade

Londres, 19 jun (EFE).- O clérigo radical Abu Qatada, que já foi considerado a mão direita na Europa do líder da Al Qaeda, Osama bin Laden, solicitará aos tribunais que proíbam a publicação de fotos suas tiradas após sua saída de uma prisão de alta segurança.

EFE |

Abu Qatada saiu na segunda-feira passada da prisão de Long Lartin (centro da Inglaterra), depois que a Comissão Especial de Apelações para a Imigração decretou sua passagem à situação de prisão domiciliar.

Através de seus advogados, Abu Qatada argumentará que a eventual publicação de fotos nas quais aparece viola o direito à privacidade garantido pela lei de direitos humanos, a mesma da qual se serviu para sair da prisão, informa hoje o jornal "Evening Standard".

O clérigo, de origem jordaniana e de 47 anos, só pode sair de casa duas horas por dia, mas tem que usar o tempo todo um dispositivo eletrônico que permitirá localizá-lo imediatamente.

Também está proibido de se relacionar com uma série de pessoas, entre elas Bin Laden.

A ministra do Interior britânica, Jacqui Smith, anunciou sua intenção de apelar aos juízes lordes, máxima instância judicial do país, contra o veredicto que impede o Governo de deportá-lo para a Jordânia, onde foi solicitado por suposto envolvimento em atentados terroristas em 1998. EFE jr/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG