Absolvidos cinco ex-detentos franceses de Guantánamo

A Corte de Apelações de Paris absolveu nesta terça-feira cinco franceses que estavam detidos na prisão militar norte-americana de de Guantánamo e que haviam sido condenados em primeira instância em 2007 a um ano de prisão por associação ilegal.

AFP |

O tribunal em questão considerou "irregular" o procedimento das investigações realizadas em Guantánamo pelos serviços franceses de inteligência entre 2002 e 2004.

Os juízes cancelaram os interrogatórios, pois consideraram que "nenhum elemento (permite) estabelecer" a culpabilidade dos detentos.

No dia 19 de dezembro de 2007, o tribunal Correcional de Paris condenou Brahim Yadel a cinco anos de prisão -quatro deles com sursis-; Murad Benchellali, Nizar Sassi, Khaled Ben Mustapha e Reduane Khalid, a quatro anos de prisão, três deles com sursis. Um sexto havia sido colocado liberdade.

Julgados por terem preparado atos terroristas, foram acusados de ter viajado entre 2000 e 2001 para o Afeganistão, antes de serem detidos e presos por entre dois e três anos na prisão de Guantánamo.

Após a sua chegada ao poder, em janeiro, o presidente norte-americano Barack Obama anunciou que fechará essa prisão polêmica.

Os cinco condenados, agora livres, já que cumpriram um período de detenção provisória, haviam apelado da decisão de 2007.

dar/dm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG