Abkházia nega que Rússia vá estabelecer uma base militar em seu território

Moscou, 2 set (EFE).- O líder da Abkházia, Serguei Bagapsh, negou hoje que essa região separatista georgiana vá receber uma base militar russa em seu território, mas expressou o desejo de que Moscou mantenha sua presença militar na zona.

EFE |

"Não haverá novas bases no território da Abkházia", disse Bagapsh à imprensa, segundo a agência russa "Interfax".

A Abkházia, banhada pelo Mar Negro, é indicada como uma das alternativas à península ucraniana da Criméia, de onde a Frota russa do Mar Negro terá que sair em 2017, ao expirar o convênio bilateral assinado entre Rússia e Ucrânia.

No entanto, Bagapsh expressou seu desejo de que os militares russos continuem cumprindo suas funções de pacificação em território da Abkházia, cuja independência e a da Ossétia do Sul foram reconhecidas por Moscou há uma semana.

O líder separatista também previu que, "nas próximas semanas", Rússia e Abkházia assinarão um acordo de cooperação em todos os terrenos, o que incluiria um acordo de assistência militar no caso de agressão externa.

Também criticou a presença de navios da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) perto do litoral da Abkházia e voltou a acusar o Ocidente de contribuir para a agressão georgiana contra a Ossétia do Sul, ao fornecer durante os últimos anos armamento a Tbilisi.

Bagapsh pediu que o Ocidente rompa, de uma vez por todas, com o presidente georgiano, Mikhail Saakashvili, a quem descreveu como um "pequeno tirano". EFE io/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG