Abbas vai aos EUA para garantir continuidade do processo de paz de Annapolis

O presidente da Autoridade Palestina, Mahmud Abbas, viaja nesta quinta-feira a Washington para garantir que os Estados Unidos continuem comprometidos com a paz no Oriente Médio depois da posse do democrata Barack Obama em janeiro.

AFP |

Abbas, que na sexta-feira será recebido pelo presidente George W. Bush, chega aos Estados Unidos no fim de um ano ao longo do qual não foi possível vislumbrar a conclusão de qualquer acordo de paz.

A manutenção dos colonos judeus na Cisjordânia e dos postos de controle militar, além da violência em Gaza e das divisões entre facções palestinas enterraram o processo de Annapolis, iniciado em novembro de 2007, que pretendia alcançar um acordo de paz antes de 2009.

As negociações ficaram ainda mais complicadas após a saída, em setembro, do primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert, envolvido em escândalos de corrupção. Para as eleições legislativas de Israel, no dia 10 de fevereiro, as pesquisas apontam uma vitória do Likud, principal partido conservador do país, de Benjamin Netanyahu, que se opõe à criação de um Estado palestino soberano.

A visita de Abbas a Washington - seguindo depois para a Rússia - tem como objetivo "assegurar a continuidade de um processo de paz que deve culminar em uma solução baseada em dois Estados", disse à AFP o porta-voz de Abbas, Nabil Abu Rudeina.

"A administração Obama precisa fazer da questão árabe-israelense uma de suas prioridades, e pediremos à atual administração que faça recomendações neste sentido", acrescentou.

Rudeina disse ainda que "a nova administração deve pressionar Israel para que pare de obstaculizar as negociações, mantendo a colonização e erguendo barreiras militares".

O negociador palestino Saeb Erakat indicou que Abbas também conversará com Bush sobre a situação na Faixa de Gaza, controlada pelo movimento radical islamita Hamas e bloqueada por Israel.

"O presidente advertirá a respeito de uma ofensiva israelense em Gaza e pedirá o fim do bloqueio", declarou Erakat.

O Hamas e a Jihad Islâmica já anunciaram que não pretendem renovar a frágil trégua com Israel, vigente desde junho, que expira na próxima sexta-feira (19).

Em Moscou, onde chegará no dia 20 de dezembro, Abbas se encontrará pela primeira vez com o presidente russo, Dimitri Medvedev, cujo país participa do Quarteto para o Oriente Médio ao lado de Estados Unidos, União Européa e ONU.

ezz/ap

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG