Abbas se reúne com líder da oposição de Israel e garante busca pela paz

Em reunião com Tzipi Livni, presidente da ANP diz que governo de coalizão que inclui Hamas está comprometido com fim da violência

iG São Paulo |

O presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas, garantiu nesta quarta-feira à líder da oposição israelense e ex-ministra das Relações Exteriores, Tzipi Livni, que o governo de coalizão palestino se comprometerá em promover a paz.

Leia também: Sem anunciar governo, Hamas e Fatah celebram 'nova página' nas relações

"O gabinete que será formado por tecnocratas e independentes estará comprometido com meus princípios, especialmente com o fim da violência e o cumprimento dos acordos assinados no passado", afirmou Abbas durante encontro com Livni em Omã, na Jordânia, segundo a agência oficial de notícias palestina Wafa.

O encontro entre os dois é o primeiro realizado entre o presidente da ANP e uma autoridade israelense desde que Abbas abandonou o diálogo de paz promovido por Washington em setembro de 2010, após Israel se negar a interromper a expansão de colônias judaicas em território palestino.

Na semana passada, ele se reuniu no Cairo com o líder do Hamas, Khaled Meshaal, para avançar nas negociações para a formação de governo da Cisjordânia (controlada pelo Fatah de Abbas) e de Gaza (dominado pelo Hamas) até a realização de eleições gerais e presidenciais em maio de 2012.

As autoridades israelenses são contra a participação do Hamas no gabinete, considerado por Israel, EUA e UE como um grupo terrorista. A comunidade internacional exige que o Executivo palestino se oponha à luta armada e que reconheça Israel e os acordos de paz assinados no passado, três condições difíceis de serem aceitas pelo Hamas. O grupo islâmico tem como princípio básico a resistência armada e a destruição de Israel.

Em seu encontro com Tzipi, Abbas também conversou sobre o pedido de reconhecimento do Estado palestino feito à ONU. Abbas disse à chefe da oposição israelense que este passo não tem como objetivo isolar Israel e não impede a continuidade das negociações de paz.

Com EFE

    Leia tudo sobre: estado palestinoisraeloriente médiopalestinoslivniabbas

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG