Abbas revela plano da Liga Árabe para reconciliação obrigatória a palestinos

Cairo, 25 set (EFE).- O presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas, revelou ao jornal Al-Hayat que existe um plano da Liga Árabe para impor uma reconciliação obrigatória entre as facções palestinas.

EFE |

"Cumprirei o que os árabes nos oferecerem", disse Abbas ao jornal árabe internacional sobre esse plano.

Embora não tenha dado detalhes sobre a iniciativa, o presidente da ANP afirmou que "qualquer um que rejeite o plano será responsável da continuação da divisão entre os palestinos".

As principais forças políticas palestinas, o nacionalista Fatah e o islâmico Hamas, romperam em junho de 2007, quando o segundo tomou à força o controle da Faixa de Gaza e expulsou as forças leais ao presidente da ANP e líder do primeiro.

Abbas fez estas declarações dias depois de uma delegação do Fatah visitar o Cairo para se reunir com os negociadores egípcios que fazem a mediação entre as facções palestinas.

O Egito lançou uma iniciativa para a reconciliação que contempla o começo de um diálogo interpalestino, a formação de um Governo de união nacional, e a reconstrução dos organismos civis e de segurança com base em um acordo nacional e dos acordos assinados antes.

Também inclui a criação de dois órgãos executivos para a aplicação dos pactos, um palestino e um árabe, que terá a participação no Cairo.

Além disso, o presidente da ANP disse que o Hamas não pode eliminar sua legitimidade como presidente que ganhou as eleições presidenciais em janeiro de 2005.

"O Hamas que violou a lei, não pode abolir quem chegou" ao poder como presidente, argumentou Abbas.

Desta forma, Abbas rejeitava as recentes advertências do Hamas, que afirmou que em 9 de janeiro de 2009 deixará de considerar Abbas como presidente legal da ANP, ao concluir seus quatro anos de mandato. EFE nq/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG