Abbas reiterará que não haverá diálogo de paz com expansão de colônias

Ramala, 15 set (EFE).- O presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas, reiterará hoje ao enviado especial dos Estados Unidos para o Oriente Médio, George Mitchell, que não retomará o diálogo de paz com Israel sem um compromisso prévio de interromper a expansão das colônias judaicas.

EFE |

Assim ressaltou o chefe de negociação palestino, Saeb Erekat, em comunicado emitido antes da reunião que acontecerá hoje entre Abbas e Mitchell na cidade cisjordaniana de Ramala.

Erekat negou também que o presidente da ANP vá participar de uma conferência trilateral com o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, e o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, por volta do próximo dia 23 em Nova York, durante a reunião da Assembleia Geral da ONU.

Washington promove este simbólico encontro como uma forma de ensaiar uma volta à mesa de negociações, paralisadas desde o final de 2008.

Erekat, no entanto, considera que essa reunião "permitiria Netanyahu se apresentar como um homem que busca a paz e a negociação", enquanto seu país continua violando suas obrigações dentro do Mapa do Caminho, plano de paz do Quarteto de Madri (ONU, EUA, UE e Rússia), com a ampliação das colônias judaicas em Jerusalém Oriental e Cisjordânia.

O negociador palestino também acusou Netanyahu de querer excluir do diálogo o tema de Jerusalém (em cuja parte oriental os palestinos querem estabelecer a capital de seu futuro Estado), o destino dos milhões de refugiados palestinos e as fronteiras definitivas.

"Não haverá negociações ou conversas se Netanyahu não mudar suas posições", sentenciou Erekat.

Mitchell chegou hoje a Ramala depois de se reunir de manhã com Netanyahu para negociar uma paralisação na construção nos assentamentos, em seu terceiro dia de contatos com israelenses e palestinos para tentar relançar o diálogo de paz. EFE nm-sar-ap/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG