Nações Unidas, 6 jan (EFE).- O presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas, recorre hoje ao Conselho de Segurança da ONU para tentar forçar Israel e o Hamas a aceitarem um cessar-fogo que coloque fim à angústia que a população de Gaza sofre há onze dias.

Abbas apresentará um projeto de resolução respaldado pela Liga Árabe que contempla o fim das hostilidades, a abertura dos postos fronteiriços e a distribuição de ajuda humanitária à população do território palestino.

O texto também inclui a criação de um mecanismo internacional para supervisionar a situação na Faixa, cujos detalhes ainda não foram tornados públicos.

A presença do líder da ANP em Nova York faz parte da ofensiva diplomática iniciada pela Liga Árabe após a reunião da organização realizada na semana passada no Cairo, que terminou com um apelo à ONU para que intervenha com mais firmeza no conflito.

O resultado dessas pressões é a reunião do Conselho realizada hoje a partir das 20h (de Brasília) e que será presidida pelo ministro de Exteriores francês, Bernard Kouchner, cujo país ocupa a Presidência de turno do órgão.

Estarão presentes também a secretária de Estado americana, Condoleezza Rice, os ministros de Exteriores da Jordânia, Marrocos e Líbano, além do secretário-geral da Liga Árabe, Amre Moussa.

Fontes diplomáticas disseram à Agência Efe que há uma intensa atividade para conseguir "uma expressão unânime do Conselho de Segurança", e asseguraram que estão sendo trabalhados "os elementos" nos quais há consenso para tentar aproximar posições.

As diferenças sobre a origem do conflito no seio do principal órgão da ONU impediram, até o momento, que os 15 membros se pronunciem com uma mesma voz sobre a situação em Gaza.

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, reiterou hoje em Washington ao presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, a necessidade de declarar um cessar-fogo que alivie o sofrimento da população civil palestina, disse a porta-voz da ONU, Michèle Montas.

Ban conversou com Bush durante o almoço oferecido pelo líder americano na Casa Branca para se despedir, antes de deixar o poder, no dia 20 de janeiro, após a posse de seu sucessor, Barack Obama.

O principal responsável da ONU deve retornar imediatamente a Nova York para participar da reunião do Conselho de Segurança. EFE jju/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.