Abbas: "Não haverá diálogo direto enquanto não houver avanços"

Intervenção de Abbas é em sentido contrário às declarações feitas nos últimos dias por Obama e Netanyahu

EFE |

O diálogo indireto de paz entre palestinos e israelenses, mediado por Washington, não passará a ser um "tête-à-tête" enquanto não houver avanços em matéria de fronteiras e segurança, disse o presidente palestino, Mahmoud Abbas, segundo informou hoje a agência de notícias palestina "Maan".

"Esperamos fazer um progresso que nos permita lançar negociações sérias que levem a uma solução de dois Estados antes que seja tarde demais", disse Abbas ontem à noite em Ramala. "Escolhemos começar com fronteiras e segurança. Propusemos nossa visão e dissemos que, se houver progresso, avançaremos para as negociações diretas. Mas se não há progresso nestes dois assuntos, as negociações (diretas) seriam uma perda de tempo", assinalou o presidente palestino.

A intervenção de Abbas é em sentido contrário às declarações feitas nos últimos dias pelo presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, e pelo primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, que após seu encontro na semana passada na Casa Branca se mostraram otimistas que em breve comecem as conversas diretas.

    Leia tudo sobre: Israel

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG