Abbas não aceita renúncia de Fayyad para não deixar vazio na ANP

Ramala, 2 abr (EFE).- O presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas, não aceitou a renúncia do primeiro-ministro, Salam Fayyad, para não deixar um vazio de poder até a formação de um Governo de união nacional.

EFE |

"Este Governo continuará trabalhando para evitar qualquer vazio político", disse Fayyad à imprensa em Ramala, capital da Cisjordânia, após ser informado de que não poderá abandonar o cargo.

Fayyad, primeiro-ministro da ANP desde junho de 2007, apresentou sua renúncia em 7 de março, em carta entregue ao presidente palestino, na qual justificava sua decisão para "apoiar os esforços de formação de um Governo de consenso nacional (...) que restaure a unidade na pátria" palestina.

Sua renúncia coincidiu com o começo dos contatos entre o movimento nacionalista Fatah e o islâmico Hamas para resolver suas diferenças e propiciar a formação de um Governo de união nacional.

O Hamas e o Fatah abriram um conflito em junho de 2007, quando o movimento islâmico tomou pela força o controle da Faixa de Gaza, de onde expulsou todas as forças e corpos de segurança leais ao movimento nacionalista e ao presidente Abbas.

As conversas de reconciliação, que acontecem no Egito, não levaram ainda a um acordo, por isso Fayyad terá que permanecer no cargo.

"Permaneceremos em funções até que a reconciliação seja completa e o diálogo nacional acabe na formação de um Governo de unidade", acrescentou Fayyad. EFE fn-sar-elb/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG