Jerusalém, 7 jul (EFE).- O presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas, reiterou hoje que não se sentará para negociar com Israel até que este país interrompa sua política de expansão de assentamentos judaicos.

A única maneira de retomar as negociações é que "o Governo americano pressione Israel para cessar as atividades nos assentamentos e que aceite a solução de dois Estados", disse Abbas em declarações à rede de televisão palestina "Al-Felastineya".

As negociações para a solução do conflito palestino-israelense estão estagnadas desde finais de 2008, depois que o Parlamento israelense convocou eleições antecipadas em fevereiro passado e o líder nacionalista Benjamin Netanyahu assumiu a chefia de Governo.

O dirigente israelense se nega por enquanto a cessar a expansão alegando que deve dar resposta ao "crescimento demográfico natural" dos assentamentos, e exige de Abbas que reconheça o caráter judaico do Estado de Israel e, assim, aceite um "Estado desmilitarizado".

Na entrevista a esse novo canal palestino, que tem seu centro operacional em Amã e é dirigida pelo embaixador palestino no Cairo, Nabil Amre, Abbas se mostrou disposto a discutir "com mente aberta todos os assuntos negociáveis, de acordo com as resoluções internacionais".

"Há possibilidade de retomar as negociações de paz com Israel", disse o líder, ao insistir nessas condições. EFE Sa/rr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.