Abbas felicita famílias de presos libertados em troca entre Hisbolá e Israel

Ramala, 16 jul (EFE).- O presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas, felicitou hoje as famílias de Samir Kuntar e de outros quatro presos libaneses que serão libertados por Israel em um acordo de troca de prisioneiros com o Hisbolá.

EFE |

O líder palestino, atualmente em visita a Malta, enviou sua mensagem de felicitação às famílias dos cinco presos que serão transferidos à milícia xiita libanesa junto com os restos mortais de 199 milicianos árabes, em troca dos cadáveres de dois soldados israelenses, informaram fontes oficiais palestinas.

Um porta-voz do presidente da ANP disse à Agência Efe que, entre os restos que Israel transferirá hoje, estão os de 170 membros do movimento palestino Fatah, liderado por Abbas.

"Para nós é um dia de júbilo, mas, ao mesmo tempo, tristeza, porque os mártires que deram sua vida para libertar a Palestina morreram na Palestina e seus restos deveriam ser entregues a suas famílias" em território palestino, disse a fonte.

Centenas de pessoas se reuniram hoje na praça Al-Manara, na cidade cisjordaniana de Ramala, em uma manifestação organizada pelo Fatah para comemorar a troca de prisioneiros.

O ato terminou na sede do Governo, a "Muqata", em frente ao túmulo do histórico líder Yasser Arafat, e teve a participação de diversas facções e grupos pertencentes à Organização para a Libertação da Palestina (OLP).

Várias bandeiras amarelas do Hisbolá eram levadas pelos participantes da marcha, que gritaram palavras de ordem a favor da milícia e dos presos libertados.

O secretário do Ministério para Assuntos dos Prisioneiros da ANP, Ziad Abu Aen, disse que a marcha de hoje é "uma mensagem para agradecer o Hisbolá pelos esforços realizados e, ao mesmo tempo, lembrar todas as pessoas que morreram para libertar sua terra".

Na Faixa de Gaza, dezenas de simpatizantes da Jihad Islâmica também foram às ruas para comemorar a troca, no que consideram uma "vitória" do Hisbolá sobre Israel.

Nafez Azam, dirigente da Jihad Islâmica, disse que seu movimento receberá os corpos de palestinos do Hisbolá no futuro.

Acrescentou que as três milícias palestinas que estão com o soldado israelense Gilad Shalit "deveriam aprender" com a recente troca entre Israel e o Hisbolá.

O Hamas mantém Shalit retido desde que, em junho de 2006, três milícias, entre elas o braço armado do movimento islâmico, capturaram o soldado em um ataque a uma base militar nas proximidades da fronteira com a Faixa de Gaza. EFE fn/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG