Abbas e Netanyahu tentam retomar diálogo Israel-Palestina

Negociações para a retomada das conversas diretas prosseguiram neste domingo, no Cairo

AFP |

O dirigente palestino Mahmud Abbas e o primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu se reuniram neste domingo com o presidente egípcio Hosni Mubarak para dar continuidade às negociações para uma possível retomada do diálogo direto entre israelenses e palestinos. A perspectiva agrada Washington, mas a Liga Árabe condiciona as conversas a algumas garantias.

Abbas, Mubarak e Netanyahu também conversaram isoladamente com o emissário americano para o Oriente Médio, George Mitchell, que coordena as negociações indiretas lançadas em maio e que deseja que um diálogo direto seja retomado entre israelenses e palestinos, depois de interrumpido com a ofensiva de Israel contra Gaza no final de 2008.

Neste domingo, no Cairo, nenhuma das partes fez comentários após os encontros ocorrridos entre Hosni Mubarak, o presidente Abbas e o primeiro-ministro Netanyahu. Segundo a agência oficial Mena, Mubarak falou da "necessidade de preparar as condições adequadas para a criação dos dois Estados".

O chefe de Estado egípcio havia apresentado essa mesma demanda a George Mitchell, que, por sua vez, havia se reunido com Netanyahu durante a manhã em Jerusalém. Antes de partir para o Cairo, Netanyahu indicou que discutiria como promover as negociações de paz diretas.

Abbas se reuniu no sábado à noite com o chefe dos serviços de inteligência egípcios, Omar Suleiman, encarregado do tema israelense-palestino e com o chefe da Liga Árabe Amr Musa, segundo a agência Mena.

Esforço

As negociações diplomáticas no Cairo ocorrem num momento em que Washington pressiona aos palestinos para que aceitem avançar das negociações indiretas - descritas como de "proximidade" - , para negociações diretas com o Estado hebreu. O presidente americano Barack Obama espera que as conversas diretas entre israelense e palestinos possam ter início antes de 26 de setembro, data em que termina a moratória parcial à construção das colônias judias na Cisjordânia.

Também neste domingo, o secretário-geral da Liga Árabe, Amr Musa, também colocou condições para a retomada do diálogo direto. "Não podemos passar automaticamente para um tipo de negociação para outro sem garantias por escrito", declarou Musa.

Musa fez estas declarações depois de se reunir com Mitchell. Na véspera, Abbas também pediu a Washington garantias sobre a interrupção da colonização israelense em Jerusalém Oriental antes de retomar negociações diretas com Israel.

"Até o momento, não há esclarecimentos sobre a posição americana a respeito de um certo número de problemas, em particular os que permitiriam passar a discussões sobre um acerto final", explicou um dirigente da OLP, Yasser Abed Rabbo, ao comentar o encontro de Abbas com Mitchell.

Os palestinos exigem uma paralisação total da colonização antes de negociar a paz. De seu lado, Mitchell classificou seu encontro com Abbas de "muito produtivo". Como é habitual, o mediador americano se negou a entrar em detalhes.

    Leia tudo sobre: Abbaspalestina

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG