Palestinos só retomarão negociações diretas se cessarem as construções de colônias judias na Cisjordânia

Os palestinos devem dar início às negociações diretas de paz com os israelenses assim que forem paralisadas as construções nas colônias judias na Cisjordânia, informou hoje o presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas, ao mediador americano, George Mitchell.

Abbas e Mitchell se reuniram nesta tarde na cidade cisjordaniana de Ramala. O presidente da ANP disse ao mediador que ele "não é contra as conversas diretas e que foi o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, que bloqueou as conversas e tem a chave para que se inicie um diálogo direto". O conteúdo da conversa foi informado à imprensa pelo chefe negociador palestino, Saeb Erekat.

Netanyahu, acrescentou Erekat, deve anunciar em breve a paralisação total da construção de colônias judias em Jerusalém Oriental e na Cisjordânia e aceitar que as negociações sejam retomadas desde o ponto em que ficaram no último processo negociador (Annapolis). As conversas comandadas à época foram finalizadas abruptamente em dezembro de 2008, com o ataque militar israelense contra Gaza, na qual morreram mais de 1,4 mil palestinos, em sua maioria civis.

O mediador americano realizou este fim de semana a sexta rodada das chamadas "conversas de proximidade", com o intuito de convencer as partes a iniciarem uma negociação direta antes do fim do prazo, em setembro. No final deste mês a ANP deverá informar o resultado da negociação atual à Liga Árabe, que em maio autorizou Abbas a negociar com a medicação americana durante um prazo de quatro meses

Abbas ressaltou que Israel deverá aceitar a presença de forças internacionais no futuro Estado palestino e compensar com territórios do mesmo valor pelos assentamentos judaicos na Cisjordânia e Jerusalém Oriental que ficariam sob soberania israelense.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.