Abbas demite prefeito do Hamas em cidade da Cisjordânia

QALIQILIA, Cisjordânia (Reuters) - O governo do presidente da Autoridade Nacional Palestina, Mahmoud Abbas, destituiu um prefeito do Hamas em uma cidade da Cisjordânia neste sábado acusando-o de má administração financeira, uma decisão que pode complicar os esforços para pôr fim às hostilidades entre facções rivais. Khaled al-Qawasmeh, ministro palestino de governo local, disse à Reuters que o prefeito de Qaliqilia, Wajih Qawas, e os 15 membros do seu gabinete foram substituídos por partidários da facção secular Fatah, de Abbas, até que novas eleições sejam realizadas.

Reuters |

Qawasmeh afirmou que a dívida do município mais que quadruplicou desde que Qawas foi eleito, em 2005, saltando de 17 milhões de shekels para os atuais 75 milhões de shekels (4,5 milhões de dólares para 20 milhões de dólares)

"A municipalidade não respondeu aos nossos repetidos alertas para corrigir a condição financeira. A decisão foi baseada em motivos administrativos", disse Qawasmeh.

Qawas, do grupo islâmico Hamas, alegou ter sido demitido pelo governo de Abbas, apoiado pelas potências ocidentais, por motivos políticos, já que teria feito avanços no município palestino que faz fronteira com Israel.

"Somos eleitos pelas pessoas e devemos ficar até que uma nova eleição seja realizada", disse Qawas à Reuters por telefone.

O Hamas controla cerca de 60 administrações palestinas na Cisjordânia ocupada desde as eleições de 2005, mas Qaliqilia foi cenário de uma sangrenta disputa armada entre a polícia de Abbas e membros do Hamas em maio que deixou seis mortos.

(Reportagem de Naim Sweilem)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG