Abbas defende que diálogo interpalestino seja mediado por árabes

Sana, 18 jun (EFE) - O presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas, insistiu hoje no Iêmen em que o diálogo entre seu movimento, o Fatah, e o grupo islâmico Hamas se desenvolva sob a supervisão árabe e em um marco árabe. Abbas, em declarações feitas ao chegar a Sana para analisar, com o presidente iemenita, Ali Abdullah Saleh, a proposta deste para relançar o diálogo interpalestino, elogiou, por outro lado, o acordo de trégua obtido com a mediação egípcia entre as facções armadas palestinas na Faixa de Gaza e em Israel. Parece realista, são boas notícias, disse, em alusão à trégua. Nas últimas semanas, o presidente da ANP tinha visitado vários países árabes, entre eles Arábia Saudita, Egito, Kuwait e Jordânia, para explicar a seus líderes a iniciativa que anunciou no dia 4 para retornar ao diálogo com o Hamas. Abbas reiterou, em Sana, que sua iniciativa se baseia na proposta oferecida pelo presidente iemenita, que exige o retorno à situação anterior a 14 de junho de 2007, quando o Hamas assumiu o controle da Faixa de Gaza, após expulsar os órgãos de segurança da ANP. A proposta iemenita é clara como o sol. Veremos como é possível chegar a uma solução através dela, mas deve ser em um marco árabe e sob o patrocínio árabe, disse o dirigente da ANP aos jornalistas em Sana.

EFE |

O plano iemenita contém sete pontos, entre os quais a realização de eleições antecipadas, a criação de um novo Executivo de união nacional de transição e a reconstrução do aparelho nacional de segurança palestino, o qual não poderá depender das distintas facções palestinas.

Fatah e Hamas tinham aceitado a proposta iemenita, e enviaram em março seus representantes para se reunir em Sana, mas posteriormente surgiram divergências entre as duas partes sobre a interpretação de alguns pontos do plano. EFE ja/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG