Abbas aprova realização de uma conferência de paz em Moscou

Moscou, 18 abr (EFE).- O líder palestino, Mahmoud Abbas, expressou hoje ao presidente da Rússia, Vladimir Putin, o apoio da Autoridade Nacional Palestina (ANP) à iniciativa russa de receber em Moscou uma nova conferência de paz sobre o Oriente Médio.

EFE |

"Confio que a conferência de Moscou será um êxito e conseguirá avanços no processo de normalização no Oriente Médio", declarou Abbas durante sua reunião com Putin na residência de Novo-Ogariovo, próxima da capital russa.

O dirigente palestino já expressou, na véspera, sua esperança de que a conferência de Moscou seja realizada em junho, a fim de "encontrar uma solução urgente" para a atual onda de violência na região.

Putin assinalou que a visita de Abbas a Moscou - parte de uma viagem que também o levará aos Estados Unidos - "ocorre em um momento difícil para as relações palestino-israelenses".

"Ao mesmo tempo, vemos os esforços conjuntos que o senhor e o primeiro-ministro israelense (Ehud Olmert) empreendem para conseguir avanços. Aplaudimos esses esforços e os respaldaremos por todos os meios de imprensa", afirmou o líder russo, citado pela agência "Interfax".

Abbas disse que está "muito preocupado pela situação da segurança na Palestina", particularmente no setor de Gaza, e explicou que a ANP tentava resolver este problema com ajuda do Egito.

Acrescentou que o respaldo da Rússia, que integra o Quarteto de Madri de mediadores para o Oriente Médio junto aos EUA, à ONU e à União Européia (UE), "é muito importante" para a ANP, da mesma forma que a ajuda financeira e humanitária conferida por Moscou.

A Rússia concedeu à ANP, em 2007, US$ 10 milhões e 60 toneladas de remédios e outros artigos de primeira necessidade, e tem preparado para enviar várias dezenas de carros blindados destinados às forças de segurança palestinas.

Segundo Abbas, a realização de uma conferência de paz em Moscou deve impulsionar o cumprimento dos acordos alcançados em novembro passado nas conversas mantidas na base militar americana de Annapolis.

Israel e a ANP se comprometeram em Annapolis a retomar as negociações, com o objetivo de alcançar um acordo de paz antes de final de 2008.

Abbas e Olmert acordaram aplanar o caminho para a criação de um Estado palestino, independente e soberano, que viva em paz e segurança com seu vizinho, Israel.

No entanto, segue no ar a demarcação definitiva das fronteiras do Estado palestino, o futuro dos assentamentos dos colonos judeus na Cisjordânia e o status de Jerusalém, entre outros assuntos.

Na opnião dos especialistas, não é seguro que Israel aprove a realização da reunião em Moscou, dado que a Rússia forneceu armamento a dois de seus principais inimigos, Irã e Síria, e mantém contatos com o Hamas.

A diplomacia russa assegurou estes dias que Moscou não convidará para o fórum o Movimento de Resistência Islâmica Hamas. Seriam convidados paenas Israel, ANP e os Estados que podem contribuir para o diálogo palestino-israelense. EFE se/fb

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG