Abbas anuncia que Egito promoverá diálogo interpalestino

Cairo, 27 jul (EFE).- O Egito patrocinará o diálogo interpalestino que tenta acabar com a divisão entre as diferentes facções, especialmente entre o Fatah e o Hamas, explicou neste domingo o presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas.

EFE |

Abbas fez o anúncio em uma entrevista coletiva concedida após uma reunião no Cairo com o presidente egípcio, Hosni Mubarak, encontro no qual os dois abordaram a atual situação dos territórios palestinos e os últimos incidentes na Faixa de Gaza.

"Concordamos com o fato de o Egito, a partir de hoje, convidar várias facções palestinas para participar do diálogo", ressaltou o presidente da ANP.

"Não temos nenhum inconveniente em que o diálogo aconteça paralelamente aos esforços para a libertação do soldado israelense Gilad Shalit (preso por vários grupos palestinos desde junho de 2006) ou à reabertura das passagens fronteiriças", disse Abbas.

Neste conflito, o Egito também atua como mediador, com o objetivo de conseguir a libertação do militar, embora ainda não tenha conseguido avanços.

O Hamas anunciou em 16 de julho a interrupção das negociações para a libertação do soldado até que Israel abra as passagens fronteiriças com Gaza.

No transcurso da entrevista coletiva, Abbas classificou de "lamentáveis e dolorosos" os últimos enfrentamentos entre Fatah e Hamas na Faixa de Gaza, após o qual rejeitou qualquer responsabilidade de seu grupo nos últimos eventos.

Os choques foram iniciados após a explosão de uma bomba que matou vários milicianos do Hamas. Os islamitas culparam a facção do presidente pelo atentado.

"O que aconteceu é doloroso para nossa gente e rejeitamos categoricamente, mas ao mesmo tempo não aceitamos as acusações lançadas pelo Hamas contra nós", ressaltou Abbas.

Após acusar o Fatah de ser o autor do ataque, os islamitas iniciaram uma operação militar contra simpatizantes, escritórios e organizações caridosas vinculadas ao grupo, na qual pelo menos 160 pessoas foram detidas.

"Rejeitamos qualquer acusação aleatória", insistiu Abbas, que também mostrou sua oposição "à luta entre as facções palestinas".

EFE nq/fh/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG