Tegucigalpa, 20 jan (EFE).- O presidente deposto de Honduras, Manuel Zelaya, completa amanhã quatro meses refugiado na Embaixada do Brasil em Tegucigalpa, enquanto hoje fica a uma semana do final dos quatro anos de seu mandato previsto na Constituição, mas interrompido pelo golpe de Estado de 28 de junho.

Zelaya assumiu o poder em 27 de janeiro de 2006 após ganhar as eleições de novembro de 2005 como candidato do Partido Liberal.

Então, ele venceu o aspirante do Partido Nacional, Porfirio Lobo, que foi o vencedor no pleito de 2009 e assumirá o poder no próximo dia 27.

O governante deposto mantém o silêncio há dias. Hoje, não deu declarações, enquanto seus colaboradores não atendem telefonemas.

Na semana passada, seu porta-voz e assessor, Rasel Tomé, disse à Agência Efe que Zelaya anunciará no dia 27, data da posse de Lobo, se fica em Honduras ou se deixa o país.

Zelaya foi expulso do poder e de Honduras em 28 de junho do ano passado, quando foi substituído no Congresso por Roberto Micheletti, que até o dia do golpe de Estado era o presidente do Legislativo.

Ontem, Micheletti disse que o futuro de Zelaya dependerá do presidente deposto e reiterou que, caso fique no país, terá que responder na Justiça por acusações de abuso de autoridade e traição à pátria, entre outras. EFE gr/bba

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.