A sobrepesca afeta a regeneração dos diferentes tipos de peixes porque elimina os de maior porte e reduz a idade madura para os mais jovens, o que provoca variações nas reservas, concluiu uma pesquisa da revista britânica Nature.

"Essa análise mostra de maneira muito convincente que o aumento da variação nas reservas de peixes está causando a eliminação de peixes maiores e mais velhos, o que diminui a taxa e a idade média dos peixes e desestabiliza a dinâmica da comunidade desses seres", explicou Nils Stenseth e Tristan Rouyer, da Universidade de Oslo.

O rejuvenescimento das populações de peixes "aumentou a instabilidade de sua dinâmica e mudou os parâmetros demográficos", como a taxa de crescimento, concluiu a pesquisa liderada por Christian Anderson, da Universidade da Califórnia, em São Diego.

Ainda segundo a pesquisa, pescar peixes maiores, sem nenhuma consideração pelo impacto do desequilíbrio na pirâmide de idades, pode levar a uma dinâmica de comunidades instáveis desses animais, o que explicaria a maioria das flutuações nas reservas de pesca hoje em dia.

A análise feita pela equipe de Anderson mostra que os responsáveis pela pesca têm de priorizar medidas de precaução porque o rejuvenescimento de uma população pode ser irreversível.

"Quando se observam os efeitos ecológicos da pesca em uma comunidade de peixes específica, as consequências da evolução podem já estar presentes e serem irreversíveis, segundo a riqueza genética do caso", advertiram.

gcv/cl

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.