A repercussão pelo mundo da libertação dos 15 reféns das Farc

O governo da Colômbia resgatou, nesta quarta-feira, a franco-colombiana Ingrid Betancourt, junto com mais 14 reféns das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc). Veja o que o mundo teve a dizer sobre a libertação.

Redação com agências internacionais |

Brasil

O presidente Lula expressou a esperança de que tenha sido dado um passo importante para libertação dos demais reféns.

O ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, acredita que a libertação contribua para a pacificação da Colômbia .

França

O presidente francês Nicolas Sarkozy agradeceu na noite desta quarta-feira a seu colega colombiano Alvaro Uribe pela libertação de Ingrid Betancourt e pediu à guerrilha das Farc que pare com "seu combate absurdo", durante uma declaração no Palácio do Eliseu junto com os filhos e a irmã de Ingrid Betancourt.

EUA

'O presidente Bush felicitou o presidente Uribe, dizendo a ele que é um 'líder forte'' , afirmou Gordon Johndroe, porta-voz do Conselho de Segurança Nacional da Casa Branca.

'O presidente Uribe agradeceu ao presidente Bush por seu apoio e confiança no governo da Colômbia', acrescentou.

Equador

Em comunicado da Chancelaria, o Equador, que mantém rompidas as relações diplomáticas com as Farc, afirma que "renova sua posição de exigir a libertação imediata e incondicional de todos os demais seqüestrados por esses grupos, por razões humanitárias e em estrito apego e respeito às normas e princípios dos direitos humanos e liberdades fundamentais".

Suíça

Em um comunicado emitido horas após o anúncio das libertações, o Ministério de Assuntos Exteriores da Suíça diz que compartilha "a alegria das famílias das pessoas libertadas, mas também a dor das pessoas que continuam sofrendo a privação de sua liberdade há muitos anos".

Na nota, o departamento também pede que as Farc libertem todos os reféns que têm em seu poder "o mais rápido possível".

Anistia Internacional

Em comunicado divulgado nesta quarta-feira em Santiago do Chile, a organização humanitária com sede em Londres reafirmou que "as partes envolvidas em um conflito armado têm expressamente proibido" seqüestrar pessoas.

"A Anistia Internacional pediu e pede a libertação imediata e incondicional de todas as pessoas seqüestradas , em muitos casos ao longo de muitos anos, cuja situação é um escândalo de direitos humanos no prolongado conflito colombiano", diz o texto.

Argentina

A presidente argentina, Cristina Fernández de Kirchner, classificou como uma " vitória da vida e da liberdade " a libertação hoje da ex-candidata presidencial colombiana Ingrid Betancourt, que passou mais de seis anos como refém das Farc.

"Os senhores sabem do meu compromisso com essa causa. É uma vitória da vida e da liberdade, dos valores, talvez os mais importantes em um país onde se perderam tantas vidas", declarou o governante, ao falar durante um ato público realizado em uma fábrica.

Chile

A presidente do Chile, Michelle Bachelet, afirmou hoje que a libertação de Ingrid Betancourt e de outros 14 reféns das Farc é um "êxito da democracia, da paz e da liberdade".

Bachelet confirmou que teve uma conversa por telefone com o presidente colombiano, Álvaro Uribe, "a quem transmiti pessoalmente todas as felicitações do governo do Chile ao governo colombiano por esse sucesso".

A presidente chilena enviou "um afetuoso abraço" aos filhos de Betancourt e a sua mãe, Yolanda Pulecio, "com a qual conversei várias vezes". "Parece-nos indispensável desejar os maiores êxitos pelo processo de paz no país irmão", acrescentou Bachelet, recordando que o seqüestro "constitui uma gravíssima violação aos direitos humanos e ao direito humanitário internacional".

"Por isso quero fazer um pedido pela libertação do resto das pessoas que ainda permanecem seqüestradas na Colômbia, que é um dos objetivos que o presidente Uribe me disse ter pela frente", concluiu Bachelet

Itália

O premiê da Itália, Silvio Berlusconi, afirmou que a libertação de Ingrid Betancourt  "é uma grande alegria". "Concluiu-se um longo e doloroso episódio, por cuja solução a Itália sempre lutou", disse o premiê.

"Meu desejo é que esse gesto possa incentivar o diálogo construtivo e democrático entre as forças políticas na Colômbia e que possa interromper todas as formas de violência", concluiu Berlusconi

Espanha

O presidente do Governo espanhol, José Luis Rodríguez Zapatero, felicitou o presidente colombiano, Álvaro Uribe, pela libertação de Ingrid Betancourt e de mais 14 reféns das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) e disse que é "uma exigência ética e moral que os outros seqüestrados sejam libertados".

Em declaração à imprensa no Palácio de La Moncloa (sede do Governo espanhol), Zapatero felicitou também as Forças Armadas colombianas pelo sucesso da operação.

Além disso, o chefe do Governo enviou seu carinho e apoio tanto à ex-candidata presidencial Ingrid Betancourt e a família desta quanto aos outros libertados de um seqüestro "cruel, desumano e injusto".

Alemanha

A chanceler alemã, Angela Merkel, mostrou sua alegria pela libertação de Ingrid Betancourt pelo Exército colombiano.

O ministro de Assuntos Exteriores alemão, Frank-Walter Steinmeier, declarou através de um comunicado que "compartilha a alegria e alívio dos amigos e da família de Ingrid Betancourt, após seis anos de cativeiro".

O ministro também mostrou sua alegria pela libertação das 14 pessoas resgatadas pelo Exército colombiano após "mais de dez anos de violência das Farc".

Inglaterra

O primeiro-ministro do Reino Unido, Gordon Brown, felicitou o presidente colombiano, Álvaro Uribe, pela libertação da ex-candidata presidencial Ingrid Betancourt e de mais 15 reféns.

Em comunicado divulgado hoje, o vice-ministro de Assuntos Exteriores britânico, Kim Howells, afirma que Brown felicitou o Governo de Bogotá e considera que os grupos armados como as Farc não desempenham um trabalho positivo no país sul-americano.

"A Colômbia merece estar livre destes horrores, e o resgate valente dos reféns é um símbolo do desejo da população colombiana de ver que a democracia e o império da lei substituem o terrorismo dos grupos armados", diz nota publicada.

Uruguai

O ministro de Assuntos Exteriores uruguaio, Gonzalo Fernández, comemorou o resgate do grupo e disse que o presidente do Uruguai Tabaré Vázquez deve se manifestar em breve.

"Fico feliz que estas pessoas tenham recuperado sua liberdade. A libertação dos reféns tinha sido o desejo de praticamente todos os países", afirmou o chanceler uruguaio. "A libertação foi pacífica, e o que devemos fazer é comemorar a libertação desta gente", acrescentou.


Entenda

Saiba mais sobre Ingrid

O Resgate

Imagens

Repercussão

Opinião

Leia também:



(*Com informações das agências EFE, Reuters, AFP e Ansa)

    Leia tudo sobre: farc

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG