A nova estratégia de Obama no Afeganistão e Paquistão

Estes são os principais pontos do discurso do presidente americano, Barack Obama, que nesta sexta-feira anunciou uma nova estratégia dos Estados Unidos para o Afeganistão, à qual associou estreitamente o Paquistão.

AFP |

OBJETIVOS DA GUERRA:

"Desorganizar, desmantelar e vencer a Al-Qaeda no Paquistão e Afeganistão e impedir seu retorno a estes países no futuro".

"Não estamos no Afeganistão para controlar o país ou decidir seu futuro".

IMPEDIR O RETORNO DA MILÍCIA TALIBÃ:

"Para os afegãos, um retorno da milícia Talibã condenaria seu país a sofrer com um poder brutal, um isolamento internacional, uma paralisia econômica e o fim das liberdades fundamentais, principalmente para as mulheres. Um retorno da Al Qaeda, que acompanharia o poder talibã, colocaria o Afeganistão sob a sombra de uma violência perpétua".

TROPAS SUPLEMENTARES:

Mobilização de 4.000 soldados suplementares para se somar às forças de segurança afegãs, além dos 75.000 soldados estrangeiros, entre eles os 38.000 americanos que já estão no país. Obama havia anunciado um reforço de 17.000 soldados no mês passado. O objetivo é que os efetivos do exército internacional passem a 134.000 antes de dois anos, e os da polícia, a 82.000.

AJUDA CIVIL:

Os Estados Unidos enviarão centenas de assessores civis, engenheiros agrônomos, professores, engenheiros, juristas. O objetivo é desenvolver a economia do país e lutar contra a produção e o tráfico de drogas.

MELHORAR O GOVERNO AFEGÃO:

"Os Estados Unidos não fecharão os olhos para a corrupção no seio do governo afegão". A ajuda fornecida ao país será submetida a critérios rigorosos de utilização.

AMEAÇA TERRORISTA NO PAQUISTÃO:

"A Al-Qaeda e seus aliados extremistas são um câncer, que ameaça matar o Paquistão".

AJUDA AO PAQUISTÃO:

Triplicar a ajuda a Islamabad para 1,5 bilhão de dólares anuais em cinco anos para "construir escolas, estradas, hospitais". Mas o apoio financeiro de Washington não é um "cheque em branco": "O Paquistão deve demonstrar sua determinação de eliminar a Al Qaeda e todos os extremistas violentos que se encontram dentro de suas fronteiras".

NOVO GRUPO DE CONTATO PARA AFEGANISTÃO E PAQUISTÃO:

Este grupo "reunirá todos aqueles para os quais a segurança da região é uma encruzilhada, nossos aliados da Otan e outros parceiros, mas além dos Estados da Ásia Central, os países do Golfo, Irã, Rússia, Índia e China".

POSSIBILIDADES DE ÊXITO:

"O caminho será longo. Haverá dias difíceis (...). Utilizaremos todos os elementos de nosso poder nacional para vencer a Al Qaeda e defender os Estados Unidos, nossos aliados e todos aqueles que querem um futuro melhor. Porque os Estados Unidos representam a paz e a segurança, a justiça e as oportunidades. Isso é o que somos e para o que a história nos convoca, mais uma vez, a cumprir".

bur-ap/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG