A cúpula da UE foi um passo muito importante, afirma Saakashvili

A decisão da UE de adiar as negociações sobre uma associação ampliada com a Rússia é um passo muito importante, que demonstra que Moscou não dividiu a Europa, considerou nesta terça-feira o presidente georgiano, Mikhail Saakashvili, em declarações ao canal de tv France 24.

AFP |

"A Europa foi muito rápida e adotou um tom rígido pouco comum. Acho que foi um passo muito importante", afirmou Saakashvili.

"A Rússia fracassou ao tentar romper essa unidae dentro da Europa", acrescentou.

Na véspera, os dirigentes da União Européia (UE) foram mais firmes que o previsto com a Rússia ao anunciar a suspensão das negociações em curso sobre uma parceria reforçada com Moscou enquanto as tropas russas não se retirarem de suas posições na Geórgia.

"Enquanto a retirada das tropas não for finalizada, as reuniões para a negociação do acordo de parceria ficarão suspensas", disseram os dirigentes dos 27 países membros em sua declaração comum, ao término de uma cúpula extraordinária em Bruxelas.

O presidente francês Nicolas Sarkozy, presidente em exercício da UE, e o presidente da Comissão Européia, José Manuel Durão Barroso, anunciaram que viajarão na próxima segunda-feira a Moscou e a Tbilisi junto com o chefe da diplomacia da UE, Javier Solana, para tentar acelerar a retirada russa da Geórgia.

As negociações sobre uma parceria estratégica com Moscou, que começaram em julho e deviam continuar no dia 15 de setembro em Bruxelas, têm como objetivo intensificar as relações econômicas, energéticas e políticas entre Rússia e UE.

A Rússia, por sua vez, lamentou a decisão da UE de congelar as negociações, ao mesmo tempo que a imprensa de Moscou celebrou o "êxito" do Kremlin por ter evitado as sanções européias.

"É de lamentar a intenção de congelar as negociações sobre um novo acordo de associação, apesar de nos últimos dois anos a Rússia estar acostumada aos obstáculos artificiais à assinatura deste documento", afirma um comunicado do ministério russo das Relações Exteriores.

"Nossa associação com a UE não deve ser refém de divergências de opinião sobre esta ou aquela questão", acrescenta a nota, que também comemora a "atitude responsável" da UE de não ter adotado sanções econômicas.

"Nossa cooperação é mutuamente vantajosa e as vantagens são tão importantes que seria pelo menos imprudente questioná-la", afirma a chancelaria.

"Moscou está disposta a manter uma cooperação constructiva e leal".

O presidente russo, Dmitri Medvedev, lamentou que a UE "não tenha compreendido totalmente" os motivos da ofensiva russa contra a Geórgia e do reconhecimento da independência de Ossétia do Sul e da Abkházia.

burs-dt/fp/cn

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG