Tegucigalpa, 20 ago (EFE).- O Governo de fato de Roberto Micheletti pediu hoje aos hondurenhos que compareçam às urnas nas eleições de novembro, para as quais já faltam cem dias e que são questionadas pelo presidente deposto, Manuel Zelaya, pelos seguidores deste e pela comunidade internacional.

No próximo dia 31, começará a campanha para as eleições de 29 de novembro, segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) mantém em seu site.

"Nosso pedido aos hondurenhos é para que compareçam em massa às urnas, expressem sua vontade, digam quem querem como presidente" a partir de 27 de janeiro de 2010, disse o ministro da Presidência, Rafael Pineda.

"Há candidatos de todos os tipos e cores" para escolher, acrescentou Pineda aos jornalistas na sede da Presidência.

O ministro também classificou como "uma barbaridade" e "um atropelo" a campanha de Zelaya e seus seguidores par que a comunidade internacional não reconheça o pleito.

Caso as eleições aconteçam sem que Zelaya esteja de volta ao poder, a crise causada por sua derrubada não terá sido superada e o novo Governo não será reconhecido, disse o movimento que apoia o presidente deposto. EFE lam/sc

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.