50 mil assistem a show em homenagem a Nelson Mandela

Dezenas de artistas homenagearam o líder sul-africano Nelson Mandela nesta sexta-feira em um show no Hyde Park, em Londres, com um público de cerca de 50 mil pessoas. Além de marcar os 90 anos de Mandela, que ele completa no mês que vem, o evento foi realizado para arrecadar fundos para a organização beneficente de combate à AIDS do líder, 46664, cujo nome é o número de Mandela nos 27 anos que passou na prisão por lutar contra o apartheid na África do Sul.

BBC Brasil |

Mandela disse ao público: "Mesmo quando estamos celebrando, vamos nos lembrar de que nosso trabalho está longe de estar completo - nosso trabalho é por liberdade para todos."
Entre os artistas e as bandas que subiram ao palco na noite desta sexta-feira estavam Queen, Amy Winehouse, Simple Minds e Annie Lennox, além de vários dos principais cantores da África.

Ao se referir ao show Free Nelson Mandela no estádio de Wembley há 20 anos, o líder disse: "Há muitos anos houve um show histórico que pediu nossa liberdade. Suas vozes cruzaram as águas e nos inspiraram nas nossas celas de prisão longe daqui. Esta noite nós podemos estar diante de vocês, livres."
Mandela ressaltou, no entanto, que os esforços precisam continuar.

"Onde há pobreza e doença, incluindo AIDS, onde seres humanos estão sendo oprimidos, há mais trabalho a ser feito", disse Mandela, fazendo um apelo para que pessoas ao redor de todo o mundo continuem ajudando a campanha 46664.

"Nós dizemos que hoje à noite, após quase 90 anos de vida, é tempo de novas mãos carregarem o fardo. Está nas mãos de vocês agora, eu agradeço a vocês."
Amy fora do hospital
A festa foi aberta com o anúncio do ator Will Smith, que lembrou de uma frase do cantor Peter Gabriel, em que ele dizia que "se o mundo pudesse ter apenas um pai, o homem que nós escolheríamos para ser nosso pai seria Nelson Mandela".

Durante a apresentação da banda Razorlight, o vocalista Johnny Borrell, lembrou da situação no Zimbábue, que nesta sexta-feira realizou o segundo turno da eleição presidencial, sob críticas da comunidade internacional.

Annie Lennox, que se aprresentou no show em Wembley há 20 anos, subiu ao palco vestindo uma camiseta com os dizeres "HIV positivo".

"Precisamos fazer algo para prevenir um genocídio virtual sobre nosso povo", disse Lennox sobre o vírus.

A cantora Amy Winehouse, que está internada em um hospital por causa de um enfisema pulmonar, deixou o quarto para encerrar o show com a famosa música "Free Nelson Mandela", que virou um hino anti-apartheid nos anos 80 e foi entoada por todos os participantes do evento.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG