30% dos homens acima dos 75 anos se mantêm ativos sexualmente

Estudo australiano revela que eles consideram sexo importante e desejam frequência e qualidade nas relações

EFE |

Um terço dos homens entre 75 e 95 anos afirmam que se mantêm sexualmente ativos e quase a metade desse grupo considera que o sexo é importante em suas vidas, segundo um estudo.

A revista Annals of Internal Medicine, dos Estados Unidos, publicou nesta terça-feira (7) em seu site uma pesquisa da Universidade da Austrália Ocidental e outros centros que se propuseram a explorar os fatores que predizem a atividade sexual.

O estudo foi baseado nas respostas de 2.783 homens a um questionário sobre sexo, saúde e relações pessoais.

Um total de 30,8% assegurou que havia mantido, pelo menos, um encontro sexual nos últimos 12 meses e 48,8% disse que considerava o sexo importante.

Mais da metade dos sexualmente ativos manifestaram estar satisfeitos com a frequência de suas relações, enquanto 43% confessou que preferiria multiplicar os encontros.

Segundo as análises da pesquisa, a possibilidade de praticar sexo diminui em idades mais avançadas pela falta de interesse e pelas limitações físicas do casal. Outros fatores são medicações com antidepressivos e doenças como a osteoporose, câncer de próstata e diabetes.

Os autores também sugerem que altos níveis do hormônio masculino testosterona estão vinculados com a atividade sexual e podem aumentá-la.

Mas o estudo não pôde demonstrar o efeito positivo de um tratamento baseado nesse hormônio, já que os resultados são ainda "incertos" e são necessárias novas pesquisas que confirmem o impacto sobre a atividade sexual.

    Leia tudo sobre: sexoestudoterceira idadetestosterona

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG