2.390 pessoas foram condenadas à morte em 2008, em todo o mundo

Em 2008, 2.390 pessoas foram condenadas à morte em todo o mundo, três quartos delas na China; a Belarus continua sendo o único país europeu a aplicar a pena capital, segundo relatório da Anistia Internacional que será publicado nesta terça-feira.

AFP |

Em seu informe anual, a organização de defesa dos direitos humanos, com sede em Londres, registrou 2.390 execuções em 25 países, ou seja, sete por dia, no ano passado.

No mesmo período, 8.864 pessoas foram condenadas à morte. Apenas cinco países - a China, o Irã, a Arábia Saudita, o Paquistão e os EUA - são responsáveis por 93% dessas execuções, segundo a Anistia.

Sozinha, a China realizou pelo menos 1.718 execuções, ou seja 72% do total mundial. A Anistia considerou, no entanto, que esse dado foi subestimado, em razão do sigilo que o cerca.

A Ásia é o continente em que a pena de morte é mais frequentemente adotada; 11 países (Afeganistão, Bangladesh, China, Indonésia, Japão, Coreia do Norte, Malásia, Mongólia, Paquistão, Cingapura e Vietnã) a aplicam.

Ao contrário, Belarus é o único país da Europa e da Ásia Central a utilizá-la, depois que o Uzbequistão a aboliu. Este antigo país do bloco soviético executou quatro pessoas em 2008, segundo a Anistia.

Os EUA realizaram 37 execuções ano passado (18 somente no estado do Texas). Mas este é o menor número desde 1995, e está cada vez mais claro que os EUA estão abolindo progressivamente a pena capital, indicou a Anistia.

Dois terços dos Estados do planeta renunciaram à pena de morte, e dos 59 países em que ela continua legalmente em vigor, somente 25 a aplicam.

"A boa notícia é que só um pequeno número de países procede a execuções, sinal de que avançamos rumo a um mundo sem pena de morte", comentou Irene Khan, a secretária-geral da Anistia.

A causa abolicionista sofreu dois reveses em 2008. São Cristóvão e Neves se tornou o primeiro estado do continente americano, fora dos EUA, a aplicar a pena de morte desde 2003. Na África, a Libéria a restabeleceu contra duas pessoas condenadas por roubo e ato de terrorismo.

Somente duas execuções (em Botswana e no Sudão) foram registradas na África Subsaariana em 2008, mas 362 condenações à morte foram pronunciadas.

O Oriente Médio e a África do Norte são, depois da Ásia, as regiões onde o maior número de pessoas foram condenadas à morte (508). O Irã, que executou pelo menos 346 condenados, e infringiu a lei internacional, segundo a Anistia, executando oito menores.

A Anistia baseou seu relatório em estatísticas oficiais e dados fornecidos por organizações não-governamentais, de defesa dos direitos humanos e da mídia.

cyb/lm/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG