Tamanho do texto

Para vítima de abuso no país, posicionamento do pontífice é "decepcionante" por não trazer "nada de novo"; premiê irlandês fez duras críticas à falta de ação da Igreja contra abusos e clama "novo relacionamento" com o Estado

Papa Francisco e primeiro-ministro da Irlanda, Leo Varakdar, em visita do pontífice neste sábado (25)
Reprodução/Twitter Leo Varadkar
Papa Francisco e primeiro-ministro da Irlanda, Leo Varakdar, em visita do pontífice neste sábado (25)

O Papa Francisco afirmou neste sábado (25) que a Igreja Católica fracassou no “combate à pedofilia”, durante sua primeira visita à Irlanda. O pontífice fez a declaração no encontro com autoridades e o corpo diplomático irlandês no Castelo de Dublin, no país ainda bastante católico – mas que vem perdendo seguidores ano após ano.

Leia também: Papa Francisco aceita renúncia de arcebispo acusado de pedofilia

“Devo reconhecer o escândalo causado nesse país por abusos sexuais contra menores de idade por parte de membros da Igreja encarregados de protegê-los e educá-los. O fracasso das autoridades eclesiásticas – bispos, superiores religiosos, sacerdotes e outros – em enfrentar adequadamente esses crimes repugnantes suscitou uma indignação justa e permanece sendo causa de sofrimento e vergonha para a comunidade católica”, afirmou Papa Francisco .

A Irlanda é cenário de diversos casos de pedofilia envolvendo a Igreja Católica.

Francisco está na Irlanda para o Encontro Mundial das Famílias, evento que conta com a participação de Marie Collins, uma das vítimas de abuso e parte da comissão antipedofilia da Igreja. Nessa sexta-feira (24), ela criticou a “carta do povo de Deus”, escrita pelo pontífice e divulgada na última semana, na qual ele chama a comunidade católica a se unir no combate aos crimes contra menores.

Leia também: Cardeal critica papa Francisco por defender bispo em caso de pedofilia

Para Collins, a carta não traz nada de novo, uma vez que “os sobreviventes [aos abusos sexuais de padres e sacerdotes] não precisam de uma carta para saber que é uma realidade”. “Falamos disso há décadas”, apontou a vítima.

Premiê clama por “novo relacionamento” entre Igreja e Estado

Primeiro-ministro Leo Varadkar clamou por um “novo relacionamento” entre Igreja e Estado na visita de Papa Francisco no país
Reprodução/Twitter Leo Varadkar
Primeiro-ministro Leo Varadkar clamou por um “novo relacionamento” entre Igreja e Estado na visita de Papa Francisco no país

No encontro de hoje, o primeiro-ministro irlandês Leo Varadkar clamou por um “novo relacionamento” entre Igreja e Estado, no qual a religião não seja “o centro da sociedade”. Segundo o premiê, a relação deve passar a refletir o “país moderno em que a Irlanda se tornou”.

O primeiro-ministro também apontou o fracasso da instituição religiosa no combate aos crimes de pedofilia, e ainda destacou os "aspectos sombrios" da história da Igreja Católica . “As falhas da Igreja, do Estado e da sociedade criaram uma herança amarga para muitos, deixando um legado de dor e sofrimento. É uma história de tristeza e vergonha”, criticou.

E não é só na Irlanda. Os escândalos de abusos sexuais contra menores de idade dentro da Igreja Católica abalaram a imagem da instituição em diferentes países do mundo como Estados Unidos, Chile e Austrália, o que envolveu até mesmo lideranças próximas ao Papa Francisco, como o cardeal George Pell, prefeito licenciado da poderosa Secretaria de Economia do Vaticano, que se tornou réu recentemente.

“Posicionamento do papa é decepcionante”, diz vítima de pedofilia

“Posicionamento do papa Francisco é decepcionante”, diz vítima de pedofilia na Irlanda
Reprodução/Twitter Leo Varadkar
“Posicionamento do papa Francisco é decepcionante”, diz vítima de pedofilia na Irlanda

 “É meu desejo que a gravidade dos escândalos de pedofilia sirva para sublinhar a importância da proteção dos menores e adultos vulneráveis por parte de toda a sociedade", declarou o papa hoje.

Leia também: Papa Francisco condena casos de abuso sexual cometidos por padres na Pensilvânia

Ainda segundo Marie Collins, o posicionamento do pontífice neste sábado não apresentou "nada de novo" e foi "decepcionante".  Papa Francisco fica na Irlanda até o domingo (26) e deve se encontrar com vítimas de pedofilia do país.

*Com informações do The Guardian e Agência Ansa

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.